sábado, 27 de março de 2010

Pedidos

A todos peço silêncio. Quero contar-lhes a minha dor, quero contar-lhes os meus medos, quero dividir os meus anseios e trazer as minhas certezas para que ainda, contudo, conforme a quem se assustar. A todos peço piedade. Quero queixar-me de que não sou perfeita, mas que me cobram como se eu fosse, ou precisasse ser. Peço-lhes compaixão ao ver-me cometendo erros, trocando os passos. Não lhes peço que ao ver esta cena, me ajudem, estaria pedindo demais. Peço apenas que não me julguem, pois encontrarei o modo certo de agir. Peço-lhes a atenção enquanto eu falar dos meus amores possíveis e impossíveis, isso provavelmente já aconteceu anteriormente, mas peço-lhes que me escutem, e ainda assim, com isso, amenizem a minha imensa dor. Peço-lhes que sejam particularmente únicos, mesmo que tão parecidos. Não quero ter que passar a vida sem distinguir meus próprios amigos dentre a multidão. Peço-lhes que quando faltarem com a sinceridade, que faltem com as palavras também. Mas vale um silêncio inoportuno, do que uma mentira que possa iludir o sonho mais sincero de alguém. Peço-lhes, por fim, que não façam nenhuma dessas coisas porque eu pedi, mas sim, porque é o melhor pra você.

Escrito por: Gabrielle Pires Silva (tequila)

Postado por Gabrielle Pires Silva às 14:46 15 comentários
sábado, 27 de março de 2010

Pedidos

A todos peço silêncio. Quero contar-lhes a minha dor, quero contar-lhes os meus medos, quero dividir os meus anseios e trazer as minhas cert...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 14:46 15 comentários
sexta-feira, 26 de março de 2010

Presentes

Recebemos o tempo todo respostas de perguntas que nem fizemos, pistas do futuro, recebemos a conexão com outras pessoas, recebemos chances novas, recebemos sinais de que não haverá nada igual na vida. Somos guiados intuitivamente pelo nosso coração, ele que escolherá pra onde devemos ir, e não devemos contrariá-lo, ele é um tanto desgovernado, mas só quer o nosso bem. Recebemos tantas dádivas, todos os dias, às vezes nem mesmo as percebemos. Recebemos sorrisos das pessoas que nos amam, recebemos o coração daqueles que se entregam a nós, e ainda sim, cobramos tanto, uns dos outros, ou só da vida. Novas chances, boas oportunidades, sonhos realizados, tudo de mão beijada. E o quanto recebemos? O quanto conquistamos? Tantas coisas nos são dadas, sem nenhum merecimento, nenhum esforço ou conquista, simplesmente passa a ser nosso, ou passa pelas nossas mãos e escorre entre os dedos, porque não somos capazes de manter.

Somos tão dignos do que temos por conquista e tão indignos da sorte. Ela nos traz coisas que talvez não teríamos capacidade de atingir, nos traz tão breve, tão sem precedentes que até mesmo tem menos valor. Não há tempo para contar e vangloriar-se do que tem, há tempo para correr, e ter mais. Fazendo isso seu, só seu. Não vamos ser apenas vítima da sorte até que ela se acabe. Recebemos tantas coisas, tantas chances, e com elas temos que prolongar tudo isso.

Recebemos inspiração todos os dias para modificar nossas vidas, mudar nossos planos, e até mesmo interferir nos sonhos, planos e metas de alguém. Somos tão presenteados, somos tão privilegiados.

Recebi coisas das quais realmente me fizeram abrir os olhos e ver o quão sortuda sou. Dentre elas, destacam-se as prioridades que tenho em minha vida. Mas não deixo isso por nada, apenas em questões filosóficas. Eu tenho a minha fé, a minha gratidão, e isso é essencial. Nada me guia tanto quanto a minha fé, nada pode me guiar mais do que isso. É a única divisão entre o certo e o errado, entre o horizonte e o limite. Saber agradecer ao que se recebe, é de uma certa forma, devolver o que recebeu.

Escrito por: Gabrielle Pires Silva (tequila)

Postado por Gabrielle Pires Silva às 14:06 8 comentários
sexta-feira, 26 de março de 2010

Presentes

Recebemos o tempo todo respostas de perguntas que nem fizemos, pistas do futuro, recebemos a conexão com outras pessoas, recebemos chances n...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 14:06 8 comentários
quarta-feira, 24 de março de 2010

Bloqueio criativo

Não sei bem explicar como aconteceu, mas ultimamente, não estou conseguindo escrever NADA. Então, para não abandonar o blog de forma cruel haha, eu vou postar uns textos de algumas comunidades de orkut. Deixando bem claro que eu não sei quem os escreveu, não tenho mais os links das comunidades nem nada do tipo.

Texto I
Ele é só um cara. É só um cara.E quer mesmo saber ? É um cara como todos os outros caras. Esse que te perguntou as horas no meio da rua – podia ter sido ele e você nem ligou. O mendigo, o ginecologista, o padre, o dealer. Ele estava ali o tempo todo, e não estava. Ele é só um deles. Vários, uma legião, e ninguém mais. É só um cara e não a sua vida. E não todos os dias da sua história, e não todas as suas lágrimas juntas em um único sábado solitário. Ele não é o destino. É um cara. Existem muitos destinos. Ele é só um cara que mal sabe escolher os próprios perfumes. Não sabe sangrar, não sabe que nome daria a um filho, não pode ficar mais tempo. Ele é só um cara perdido como muitos outros caras que você encontrou, e perdeu. Ele é só um cara. E você já esqueceu outros caras antes.

Texto II
Mas acaba valendo a pena , mesmo as coisas não tendo chegado aonde você queria que chegasse, cada segundo foi único e jamais nenhum outro será igual. Nunca se arrependa de nada, por mais que as coisas não tenham saído como planejou, por mais que tenha errado sem saber que estava errando, fosse com si mesmo ou com outros. Cada experiência é única, sendo ela boa ou ruim, sempre vai servir pra te dar lições e te ensinar como agir da próxima vez. Seu sorriso contagia e o principal motivo disso é a certeza de que nunca cansará de sorrir.

Texto III
Você ainda vai amar e odiar a mesma pessoa, vai querer morrer e vai querer viver mais, vai se perguntar o porque de gostar, o porque de amar, vai rir das coisas que passou, vai rir de como você era, de como você é, e de como você pensa ser. Vai querer mudar de nome, vai querer ser outra pessoa, vai perceber que você mudou muito, ou que você sempre foi a mesma pessoa. Vai querer rir com vontade de chorar, chorar com vontade de rir, vai acreditar e desacreditar, vai se perder em sua própria vida, vai arriscar mesmo sabendo das conseqüências. Vai deixar de tentar por medo, duvidas, vai se arrepender, vai querer voar. Vai querer sumir, se mudar para outro país. Vai querer recomeçar, mesmo nunca tendo começado, vai fazer planos com outra pessoa, mesmo ela nunca ter feito parte disso. Vai depender de alguém, vai pedir ajuda. Vai perder o orgulho. Vai perceber que mesmo sendo sempre a mesma pessoa, você nunca é você mesmo.
Postado por Gabrielle Pires Silva às 14:09 9 comentários
quarta-feira, 24 de março de 2010

Bloqueio criativo

Não sei bem explicar como aconteceu, mas ultimamente, não estou conseguindo escrever NADA . Então, para não abandonar o blog de forma cruel ...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 14:09 9 comentários
segunda-feira, 22 de março de 2010

Um em um milhão

Eu já descobri que não sou ‘o um em um milhão’, que talvez nunca vá me destacar dentre a multidão e sinceramente, já não me importo mais. Por incrível que pareça, isso já não faz o menor sentido, em relação ao sentimento que guardo, em relação aos meus planos. Eu já quis tanto me sentir assim que esqueci que não preciso disso, e vivi tanto tempo em função a uma tal coisa, que só acontece quando realmente é para acontecer. Agora o que me resta é uma vida intensa, bem vivida, realizando pequenos desejos e sem pensar mais no amanhã, porque o amanhã é uma dádiva que só pertence ao ‘Nosso Superior’. De que vamos viver, de que vamos morrer, de que vamos sentir enquanto estivermos aprisionados nos estereótipos que nos cercam? De que diferente seremos? E sem diferenças, como nos tornaremos, o ‘um em um milhão’? Apenas seremos ‘mais um, em um, dois, três milhões’.

Escrito por: Gabrielle Pires Silva (tequila)

Postado por Gabrielle Pires Silva às 19:41 7 comentários
segunda-feira, 22 de março de 2010

Um em um milhão

Eu já descobri que não sou ‘o um em um milhão’, que talvez nunca vá me destacar dentre a multidão e sinceramente, já não me importo mais. Po...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 19:41 7 comentários
quinta-feira, 18 de março de 2010

Aceitação

Esboce um pequeno sorriso, mesmo que isso não te leve ao paraíso. Mostre uma pequena parte de você aos que querem te conhecer e deixe que os mesmos descubram o resto sozinhos. Não declare quem você é por completo, mas nunca se esconda atrás de nada nem de ninguém, se assuma por completo, quando fores descoberto. Os que conhecem seu perfume serão seus seguidores, por mais distante que estejas, e os que só repararam no que foi exposto, esses te perderão dentre a multidão e nunca te merecerão. Não perca o rumo, nem o foco, ainda que pareças totalmente rejeitado, se for apenas quem é, certa vez será aceito. E tendo isso, poderá esboçar o sorriso perfeito.

Escrito por: Gabrielle Pires Silva (tequila)

Postado por Gabrielle Pires Silva às 13:34 6 comentários
quinta-feira, 18 de março de 2010

Aceitação

Esboce um pequeno sorriso, mesmo que isso não te leve ao paraíso. Mostre uma pequena parte de você aos que querem te conhecer e deixe que os...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 13:34 6 comentários
quarta-feira, 17 de março de 2010

Felicidade instantânea

Eu não me recordo muito bem, mas sei que aquele dia não era um bom dia para acordar. Meu coração estava levemente apertado e a forma de pulsar era como um sinal, que infelizmente eu não pude captar. Não de primeira.

Os meus passos leves ao chão me levavam a um lugar onde eu sabia que deveria estar, mas realmente não sabia por quanto tempo poderia. Felicidade instantânea. Começa e termina da mesma forma. Rápida. Até demais. Quando dei por mim, já estava no fim, e eu escrevendo apenas mais bobagens na última página do meu caderno, como se desabafasse, com siglas, rabiscos, desenhos e trechos de músicas. Músicas que, me fizeram tantas vezes feliz, ou me afundaram talvez até mais do que leves lembranças.

Eu sabia que era mais forte do que aparentava, afinal, meu coração já havia sofrido anteriormente, talvez até mais do que da maneira que se encontrava. Mas eu estava um em sintonia com a minha própria depreciação, por às vezes, parecer mais fácil me entregar enquanto deveria lutar para sair do buraco onde me encontrava. Mas mesmo sabendo, cavava devagar, não tinha certeza de que queria mesmo ficar bem, mas me diziam que eu tinha que ficar, então eu tentava tentar.

Escrito por: Gabrielle Pires Silva (tequila)

Postado por Gabrielle Pires Silva às 14:19 13 comentários
quarta-feira, 17 de março de 2010

Felicidade instantânea

Eu não me recordo muito bem, mas sei que aquele dia não era um bom dia para acordar. Meu coração estava levemente apertado e a forma de pul...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 14:19 13 comentários
terça-feira, 16 de março de 2010

Oportunidades

Eu sempre consegui escutar conselhos e fazer só o que eu achasse que era certo, não aceitar influências de ninguém. Tudo o que queremos, devemos fazer, ou pelo menos tentar, para saber como seria, como poderia ser. Já tive conseqüências ruins, na verdade, em maior quantidade do que boas. Mas se eu tivesse deixado aquele ponto de interrogação na minha mente, talvez fosse bem pior. O que a gente realmente quer a gente com certeza põe em prática, a gente cria as oportunidades, não é mesmo? De nada vale uma vida calma e sem riscos, porém sem grandes realizações. Meu travesseiro é marcado por boas histórias, nas quais chorei, imaginei, planejei enquanto tentava frustradamente, pegar no sono. Mas de que isso importa? Estamos aqui, tendo chances extraordinárias, dia após dia, de viver intensamente, de modo corajoso. Temos essa oportunidade de transformar as coisas ao nosso modo. Não tem porque perder momentos como os quais podemos criar as situações que nós mesmos criamos para nosso próprio benefício.

Escrito por: Gabrielle Pires Silva (tequila)

Postado por Gabrielle Pires Silva às 14:17 7 comentários
terça-feira, 16 de março de 2010

Oportunidades

Eu sempre consegui escutar conselhos e fazer só o que eu achasse que era certo, não aceitar influências de ninguém. Tudo o que queremos, dev...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 14:17 7 comentários
segunda-feira, 15 de março de 2010

O que somos?

Somos vítimas do passado, dos nossos crimes perfeitos que não foram bem planejados. Somos a resposta do que não se cala e o pensamento do que já não se encontra. Somos exatamente os mesmos, e no mesmo lugar. Mas não somos como antes. Não há nada nesse mundo que não tenha elo e vínculos com o passado. Não há nada nesse mundo que possa se premeditar. Não há nada ruim de um todo, tampouco bom por completo. Somos eternos irresponsáveis, porque jogamos a culpa em tudo, menos em nós mesmos. Somos tão pouco e em tão pouco tempo, somos tanta coisa em vão, tanta coisa que acabou, tanta coisa que passou. De tudo que pensamos, somos um pouco disso, de tudo o que fazemos, somos um pouco disso. De tudo que planejamos, não somos nem metade, e nem seremos. Porque os planos, ah, os planos só são perfeitos no papel.

Escrito por: Gabrielle Pires Silva (tequila)

Postado por Gabrielle Pires Silva às 13:47 9 comentários
segunda-feira, 15 de março de 2010

O que somos?

Somos vítimas do passado, dos nossos crimes perfeitos que não foram bem planejados. Somos a resposta do que não se cala e o pensamento do q...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 13:47 9 comentários
sábado, 13 de março de 2010

Quatro partes

Vamos por partes. Primeira parte: Sabemos que estamos em constante movimento e mudança certo? Sabemos também, que temos opiniões e ações diversas, portanto para sermos respeitados, não podemos ‘apontar’ ninguém, muito menos feri-los, com nossa forma de pensar. Mesmo assim, quase sempre, nos perdemos, e não seguimos essa teoria, que parece simples. As mudanças são incontestáveis também. Precisamos delas. Mesmo que sejamos os mesmos, precisamos ser um adicional de algo mais, seja que algo novo que aprendemos, algo novo que vemos, algo antigo, que demoramos a perceber, mas que percebemos, algo que admiramos em alguém, etc. Somos a soma do que nossa essência nos permite, adicionando o que peneiramos dos conselhos, aprendizados e exemplos que temos o tempo todo.

Segunda parte: Se o ser humano é tão ingrato, sejam uns com os outros, sejam com suas crenças, sejam consigo mesmos, porque ainda esperamos tanto, dar para receber e receber para dar? Nem sempre somos capazes de enxergar o feito, mesmo que pareça estar óbvio. Fazer por fazer, e receber por amor, é a solução. Haverão apenas respostas sinceras entre os atos, não uma obrigação ao anterior e assim sucessivamente.

Terceira parte: Será que mesmo, o amor é único, pra vida toda? Como podemos descobrir qual destes é o amor verdadeiro, o que é confusão, o que é paixão, e o pior: o que é orgulho? Como podemos encarar o estereótipo do amor sem temer estar mais uma vez equivocado em um falso amor? Ou ainda mais profundo: como podemos lutar para esquecer alguém que amamos, enquanto acreditamos que só existirá, para sempre um? Apenas um.

Quarta parte: Tudo tem começo, meio e fim, tudo exige paciência, tudo que tem amor e paixão é mais bem feito e duradouro, tudo que é esforço, é aprendizado. Tudo é válido, de certa forma. Tudo tem um motivo para acontecer, todos tem um motivo para suas escolhas, e para serem escolhidos. Dentre vários outros, todos se destacam em especial em algo, e para alguém. De tudo que já vi, tudo faz sentido somente depois de um tempo.

Escrito por: Gabrielle Pires Silva (tequila)

Postado por Gabrielle Pires Silva às 13:34 10 comentários
sábado, 13 de março de 2010

Quatro partes

Vamos por partes. Primeira parte: Sabemos que estamos em constante movimento e mudança certo? Sabemos também, que temos opiniões e ações ...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 13:34 10 comentários
sexta-feira, 12 de março de 2010

A dúvida

A dúvida é apaixonante. É um desafio. Existem pessoas que têm medo de arriscar e acabam ficando cada vez menos experientes, cada vez menos realizadas, cada vez menos divertidas, ousadas, capazes. Sim, é o risco que nos trás essa dúvida, e é essa dúvida que nos desafia. Com os novos desafios, que nos tornamos mais vivos a cada dia, apesar de todo o cotidiano comum e monótono. Temos a dúvida de caminhos a seguir, de escolhas para fazer, de certezas a declarar, de cores, de modos, de tempo, temos dúvida do que fazer pessoalmente, profissionalmente. Temos dúvida de porque vivemos, porque somos, porque temos, e isso nos leva a outras questões que nos trazem vivacidade. Sabemos o quanto estaríamos nos arriscando trocando o certo pelo duvidoso, mas quantas vezes você poderia sentir aquele leve ‘friozinho’ na barriga, se não tentasse coisas novas? Afinal, quem julgaria uma atitude louca feita por puro prazer e satisfação, enquanto vive uma vida medíocre com medos, anseios e insegurança?

Não sejamos cegos, impulsivos ou anarquistas. Vamos apenas por nossas dúvidas em questão, nossos riscos em prática. Não vamos julgar, nem queremos ser julgados. Buscamos felicidade, felicidade essa que encontramos em coisas pequenas, mas também em grandes atos. Somos eternos reflexos das nossas escolhas, e das conseqüências que essas trazem. Não queremos ser o reflexo do medo estagnado na incerteza.

Escrito por: Gabrielle Pires Silva (tequila)

Postado por Gabrielle Pires Silva às 12:52 10 comentários
sexta-feira, 12 de março de 2010

A dúvida

A dúvida é apaixonante. É um desafio. Existem pessoas que têm medo de arriscar e acabam ficando cada vez menos experientes, cada vez menos r...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 12:52 10 comentários
quinta-feira, 11 de março de 2010

Jogadora

Suas idéias já foram expostas. Não tente mais prolongar isso, já durou tempo o suficiente. Se for para me segurar em teus braços, que seja para descer-me da altura em que me levou. Se for para tocar-me, que seja para mostrar que ainda estou acordada. Minhas expectativas são concluídas a base da minha leve percepção, e do seu modo indireto de me agradar. Detalhes já não são simples detalhes quando são observados cuidadosamente.

Por conhecer o seu jeito sei que as cartas estão na mesa, e sinceramente, não vou escolher nenhuma delas. Porque não tenho nada para oferecer, nada para doar. Afinal, nem mesmo quero ganhar, muito menos perder. Quem sabe jogar tenha perdido o foco em meio a tantos mistérios que você despertou enquanto queria ser o melhor jogador? Na verdade isso não faz mais o sentido anterior, porque perdemos a nossa essência.

Todos os outros já escolheram suas cartas, mas eu não, eu me retiro deste jogo, sem nenhum ‘grand-finale’. Porque se eu soubesse que seria um jogo, jamais te ofereceria a verdade. Se eu soubesse que seria um jogo, certamente, eu teria ganhado. Mas eu nem mesmo soube, eu nem mesmo quis.

Desço as escadas pelo menos desta vez de cabeça erguida, e sei que não importa o tempo que passe, eu não vou me confundir outra vez. Não vou deixar que isso me afete de novo. Não só por uma questão de sabedoria, mas por uma questão de estratégia.

Escrito por: Gabrielle Pires Silva (tequila)

Postado por Gabrielle Pires Silva às 13:59 14 comentários
quinta-feira, 11 de março de 2010

Jogadora

Suas idéias já foram expostas. Não tente mais prolongar isso, já durou tempo o suficiente. Se for para me segurar em teus braços, que seja p...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 13:59 14 comentários
quarta-feira, 10 de março de 2010

Peculiar & Particular

Era uma tarde como outra qualquer, e ela continuava desabafando suas insanidades num modo de escrever ainda bem peculiar. Particular, ainda que fossem lidas, nem sempre poderiam ser identificadas. Era tímida, muito embora sua capa fosse completamente outra, e ninguém pudesse enxergar o quão insegura esta se sentia, quando ia escurecendo e o vento do anoitecer invadia seu corpo, fazendo-a sentir frio.

Ainda que fosse tolo, ainda que ninguém fosse ler, ainda escrevia coisas que não mostrava para ninguém. Ainda escrevia sobre seus amores, suas sensações, ainda escrevia sobre alguém que não era ninguém. O som das teclas sendo minuciosamente escolhidas, tocadas e transmitidas, era o som que ocupava seu coração enquanto transpassava seus sentimentos de uma forma lúcida, ainda que estivesse perturbada com tantas coisas.

Talvez pagasse seu preço por tanta exposição, talvez ainda fosse um tanto covarde e tivesse medo. Ela não se sentia a típica heroína dos desenhos animados que nada teme, nada a assusta e muito menos, nada a faz correr. Pelo contrário, era tão indefesa, tão frágil e tinha medo de coisas que ninguém mais tinha. Não superou alguns traumas e só seguiu a diante.

Era por isso que escrevia, era por isso que continuava tentando, apagando, rabiscando, criando e modificando.


Escrito por: Gabrielle Pires Silva (tequila)

Postado por Gabrielle Pires Silva às 18:43 6 comentários
quarta-feira, 10 de março de 2010
Peculiar & Particular Era uma tarde como outra qualquer, e ela continuava desabafando suas insanidades num modo de escrever ainda bem p...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 18:43 6 comentários
terça-feira, 9 de março de 2010

Aqueles dias

Naqueles dias, eu não podia chorar. Naqueles dias, a verdade era obrigatória. “Tire suas mãos de mim e não volte a olhar-me” – eu podia ouvir minha voz dizendo, ainda que eu estivesse muda. Eu procuraria outros olhares enquanto me perderia em ilusão e devaneios que não me permitiriam estar sóbria. Naqueles dias, eu não estava apta a sorrir. Desde aquele dia, aqueles dias eram assim, porque naqueles dias, chovia sem parar. Nada é considerado insano nem vão, quando se propõe a fazer com coração, nada pode ser julgado, mas naqueles dias, todas as atitudes seriam minuciosamente avaliadas. Naqueles dias tão longos, foram prolongados a mais de 24 horas. Eu saberia o quanto seria importante se houvesse alguma importância. Mas depois daqueles dias, não faria a mínima diferença, e voltaríamos a nossa vida normal.

Escrito por: Gabrielle Pires Silva (tequila)

Postado por Gabrielle Pires Silva às 13:23 10 comentários
terça-feira, 9 de março de 2010
Aqueles dias Naqueles dias, eu não podia chorar. Naqueles dias, a verdade era obrigatória. “Tire suas mãos de mim e não volte a olhar-me” – ...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 13:23 10 comentários
segunda-feira, 8 de março de 2010

Seja você mesmo

Guarde suas respostas hipócritas para você. Para que espalhar pelo mundo mais falsidade do que já é exposta diariamente, seja na mídia, na política ou por pessoas que você vê no dia-a-dia. Se comprometa, fale a verdade, cite nomes. Diga quem é você afinal. Conquiste amigos, mas também inimigos, selecionadamente, por ser quem é. Se continuar em cima do muro pode ser perigoso. Talvez possa haver uma queda cruel, nenhum dos lados te esperam mais e vão então, ter marcas, ralados e cicatrizes de que você caiu. Espalhe somente coisas pelo mundo, que o mundo te responderá com boas coisas. Seja polêmico, ainda que seja verdadeiro, por um dia só.

Escrito por: Gabrielle Pires Silva (tequila)

Postado por Gabrielle Pires Silva às 01:53 9 comentários
segunda-feira, 8 de março de 2010
Seja você mesmo Guarde suas respostas hipócritas para você. Para que espalhar pelo mundo mais falsidade do que já é exposta diariamente, sej...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 01:53 9 comentários
sexta-feira, 5 de março de 2010
Boa tarde!
Hoje, ao contrário dos outros posts eu não vou postar algo escrito por mim. Vou postar uma letra d música PERFEITA *-* que eu quero compartilhar, sei lá, porque gosto e me identifico muito.

Believe in me -Acredite em mim
Eu estou me perdendo, tentando competir com qualquer um ao invés de ser eu mesma. Não sei onde voltar, estou presa nessa rotina, preciso mudar meus modos ao invés de ser sempre fraca. Não quero ter medo, quero acordar me sentindo bonita hoje e saber que estou bem. Porque todos são perfeitos de formas incomuns você vê, eu só quero acreditar em mim. O espelho pode mentir, não mostra o que você é por dentro e ele pode dizer que você é cheio de vida é impressionante o que você pode esconder só com um sorriso.Não quero ter medo, quero acordar me sentindo bonita hoje e saber que estou bem, porque todos são perfeitos de formas incomuns você vê, eu só quero acreditar em mim. Rapidamente eu estou descobrindo que eu não vou cair tão cedo. Não hoje. Eu acho que sempre soube que eu tinha toda a força para fazer isso até o fim. Não vou ter medo, eu vou acordar me sentindo bonita hoje. E saber que estou bem pois todos são perfeitos de formas diferentes, você vê, agora eu acredito em mim. Agora eu acredito em mim




Escrito por: Demetria Devonne (Demi Lovato)
Postado por Gabrielle Pires Silva às 17:21 19 comentários
sexta-feira, 5 de março de 2010
Boa tarde! Hoje, ao contrário dos outros posts eu não vou postar algo escrito por mim. Vou postar uma letra d música PERFEITA *-* que eu que...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 17:21 19 comentários
quinta-feira, 4 de março de 2010

Adeus

Vai haver um dia onde todas as pessoas vão dizer adeus, não necessariamente para você, mas sim, umas para as outras, sempre diremos adeus. Sempre nos despedimos, seja pelo motivo que for. Às vezes nos despedimos mesmo continuando a conviver. Despedimos-nos do amor, da companhia. Despedimos-nos mais dos sentimentos do que das pessoas. Despedimos-nos como se, na verdade o amor fosse algo descartável. Partimos, mesmo que para poucos metros de distância, não olhamos para trás e deixamos tudo, do jeito que fosse, e do jeito que será. Adeus já não é algo tão profundo como realmente ir embora, de um lugar para outro, ou de uma vida para algo maior. O adeus é a forma mais fácil de dizer como as coisas acabam, onde acabam e nem sempre, porque acabam. Cabe a um só essa decisão. Quando decides partir, só quem espera sente a dor. E nada pode fazer, a não ser rezar, pedir, ou humilhar-se para que volte. Enquanto talvez, ainda que tenha dito tal fúnebre e decisiva palavra, nem mesmo a pessoa queira ir, e abandonar tudo de uma só vez. São as circunstâncias que nos fazem dizer adeus, e as circunstâncias às vezes, nos faz voltar. Afinal, todo final pode ser um espaço para um grande recomeço.

Escrito por: Gabrielle Pires Silva (tequila)

Postado por Gabrielle Pires Silva às 17:32 9 comentários
quinta-feira, 4 de março de 2010
Adeus Vai haver um dia onde todas as pessoas vão dizer adeus, não necessariamente para você, mas sim, umas para as outras, sempre diremos ad...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 17:32 9 comentários
quarta-feira, 3 de março de 2010

Eterna Espera

Todo mundo vive esperando um bem maior, uma cura mais recente, um milagre divino enquanto tudo é tão passageiro. E esperando, esperando e esperando, perdemo-nos entre o tique-taque do relógio, perdemos os outros sons que o mundo produz, perdemos a chance de derramar o nosso suor pelo sacrifício e glorificar a chuva por lavar o corpo e a alma depois de tanto cansaço. Perdemos a sensibilidade ao simples e vivemos de grandes expectativas. Não importa o quão grande tenha sido seu feito, você sempre quer mais. Mais uma ajuda, mais uma chance, mais duração, mais créditos, mais sensacionalismo.

Quando paro para pensar na minha própria vida, considero-me sortuda. Perdi poucos entes queridos até hoje, tenho uma família estável, amigos por perto, oportunidades de ouro, tenho a minha fé, minhas certezas, meus valores. Cresci com alguém olhando por mim, tenho apego à família, não me falta nada. Mas quando estou no decorrer do dia-a-dia, estou sempre me queixando. De algo que falta, de algo que sobra, de algo que faz falta, de algo que não acontece, de algo que parou de acontecer, de um pedido que não se realizou, de um telefonema que não recebi, de uma resposta que não tive, de não ter sido compreendida, entre outras ingratidões.

Se eu morresse hoje, não sei se diria que me realizei ao todo, pois pouco vivi, mas poderia sim, morrer agradecida. Porque de tudo tive para tornar meus sonhos reais. Muitas vezes tive mesmo foi medo, preguiça, insegurança. O que é totalmente vencível, e, culposo, de certa forma.

O trajeto que nossa vida percorre, é auto-regulável, e então pra que esperar tanto que algo supremo aconteça e mude-o por completo enquanto eu mesma poderia fazê-lo? Tudo está na perspectiva da análise, e na forma de levar a vida. Às vezes é bom ter problemas, para nos encorajar a fazer algo, que já deveríamos ter feito. Às vezes é bom ter saudades, para nos lembrar que amamos alguém. Às vezes é bom se decepcionar, para aprender a lidar com todo tipo de pessoas ou situações.

Sempre haverão maneiras fáceis de solucionar seus problemas, mas porque não, mais uma vez tentar pelo modo mais difícil e sair com uma bagagem de aprendizados muito maior?

Escrito por: Gabrielle Pires Silva (tequila)

Postado por Gabrielle Pires Silva às 15:46 17 comentários
quarta-feira, 3 de março de 2010
E terna Espera Todo mundo vive esperando um bem maior, uma cura mais recente, um milagre divino enquanto tudo é tão passageiro. E esperando,...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 15:46 17 comentários
terça-feira, 2 de março de 2010
Aprendizado

Aprendi com os dias ruins, que os dias bons devem ser valorizados. Aprendi com a insegurança, a me confortar, mesmo que sozinha. Aprendi que tentando a gente consegue, mas que isso não é uma regra, e às vezes é hora de perder. O tempo se faz necessário na aprendizagem, voltar atrás não mudaria nada, os desejos são quase involuntários. Aprender é como crescer, crescer por dentro para brilhar por fora.

Escrito por: Gabrielle Pires Silva (tequila)

"When I thought it'd all been done
When I thought it'd all been said
A little bit longer and I'll be fine.
But you don't know what you got 'til it's gone
And you don't know what it's like to feel so low
And everytime you smile or laugh you glow
You don't even know, know, know.
You don't even know."

Jonas Brothers - A little bit longer


Postado por Gabrielle Pires Silva às 20:55 9 comentários
terça-feira, 2 de março de 2010
Aprendizado Aprendi com os dias ruins, que os dias bons devem ser valorizados. Aprendi com a insegurança, a me confortar, mesmo que sozinha....
Postado por Gabrielle Pires Silva às 20:55 9 comentários
segunda-feira, 1 de março de 2010
Parabéns pra mim *-*
Primeiramente, quero desejar-me parabéns e muitos anos de vida HAHA brincadeirinha. Só quero postar mesmo normalmente e me desculpar por não ter postado nos últimos dias, final de semana eu sempre fico meio relapsa. Mas acho que ninguém está bravo, estão? rs. De qualquer forma, hoje quero avisar que o texto é bem pessoas, e de pouca identificação. Nada em especial, mesmo sendo meu aniversário, eu pensei e pensei e não consegui pensar em nada legal o bastante pra fazer de diferente por aqui :/

Eterna confusão

Eu não me lembro como cheguei até aqui, nem sei quem me trouxe. Acho que eu estava confusa antes disso, mas agora eu pareço mais ainda. Eu me sentia como um pássaro, mas agora me sinto como uma gaiola, vazia. Eu me sentia como um vendaval, e agora me sinto como alguém que foi descabelada pelo vento. Eu não me lembro como isso tudo aconteceu, mas eu presumiria que foi no mês seis. Mês seis no qual eu ainda era aquela, e agora sou essa, essa culpada, quem pode entender? Os pássaros jamais voltam às suas gaiolas, então, melhor eu trancar-me aqui, mesmo que sozinha.

Escrito por: Gabrielle Pires Silva (tequila)

Postado por Gabrielle Pires Silva às 16:46 10 comentários
segunda-feira, 1 de março de 2010
Parabéns pra mim *-* Primeiramente, quero desejar-me parabéns e muitos anos de vida HAHA brincadeirinha. Só quero postar mesmo normalmente e...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 16:46 10 comentários