quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Último gole


Tomei mais um gole daquela paixão. Jurava ser o último. Já estava completamente embriagado daquilo, que eu dizia já não estar mais correndo no meu sangue. Estava tonta e já nem mesmo sabia como voltar para casa. Os vultos não criavam formas, as falas estavam todas tão misturadas. Perdi o controle de mim mesma e só ouvia os ruídos aleatórios. Estava só. Aquilo se tratava de você, estava aos poucos tomando do teu amor, que me envenenava e me embriagava sem perceber. Estava aos teus pés, e quando acordei, nem sabia mais onde estava. O pior de tudo, é que isso não passaria no dia posterior, nem depois quando eu acordasse.

Escrito por: Gabrielle Pires Silva (Tequila)

Postado por Gabrielle Pires Silva às 21:17 8 comentários
quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Último gole

Tomei mais um gole daquela paixão. Jurava ser o último. Já estava completamente embriagado daquilo, que eu dizia já não estar mais correndo...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 21:17 8 comentários
domingo, 24 de outubro de 2010

Realidade e ficção


As vezes sai tudo como o planejado, e então é hora de comemorar. Mas é preciso compreender quando estiver tudo pelo avesso. É preciso ter postura e se dedicar a melhorar aquilo que implica com teu ideal. Precisamos sair da rotina, buscar o que houver de mais inovador, para que, possamos trazer à nossa realidade, a ficção. Algo que só nos pareceria possível nas telas enormes do cinema. Com um pouco de imaginação e disposição, parece mais fácil montar novas circunstâncias. Não queremos ser óbvios, contrapartida, escondemos o que temos de mais ousado, e com isso acabamos por não realizar nossos sonhos, e parecer tão sem identidade, tão comumente insatisfeitos com a monotonia que nos parece imposta. Tudo por uma ilusão de que, o conservador é mais seguro, e que o futuro, é algo a se temer.


Escrito por: Gabrielle Pires Silva (Tequila)

Postado por Gabrielle Pires Silva às 23:52 7 comentários
domingo, 24 de outubro de 2010

Realidade e ficção

As vezes sai tudo como o planejado, e então é hora de comemorar. Mas é preciso compreender quando estiver tudo pelo avesso. É preciso ter p...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 23:52 7 comentários
sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Entrevista VI

O entrevistado de hoje se chama Pedro, foi o motivo da criação do meu blog através de seu incentivo e nessa entrevista expõe sua opinião sobre todos os tipos de assunto. Conheçam-o melhor através de seu twitter @pedronigro

Gabrielle Pires: Uma coisa na sua vida que espanta todos os seus males?

Pedro Nigro: Um banho depois um abraço da minha mãe.

Gabrielle Pires: Uma coisa em você que costuma afastar um pouco as pessoas?

Pedro Nigro: Meu jeito um pouco bipolar.

Gabrielle Pires: Se fosse um super-herói, qual seria sua primeira boa ação?

Pedro Nigro: Explodir Brasília em dia de expediente.

Gabrielle Pires: Você acha que nasceu para que?

Pedro Nigro: Primeiro, minha mãe admitiu que era pra tirá-la do tédio mas na verdade acho que cumprir missões na vida das pessoas de forma aleatória pra mim mas com completo sentido pra Deus. Todos têm uma missão aqui, ou duas ou muitas, cabe a nós "lê-las" e cumpri-las.

Gabrielle Pires: Você já sofreu bullying ?

Pedro Nigro: Já, facilmente. Mas nunca me afetou, apelidos como "paraíba", "cabeção", "baixinho" sempre me seguiram mas nunca ficaram nem me afetaram de verdade.

Gabrielle Pires: E você? Já fez esse tipo de brincadeiras que pudesse machucar alguém?

Pedro Nigro: Sim, mas quando menor. Talvez como uma forma de defesa, as pessoas te colocam apelidos, você coloca nas pessoas de volta. Espero nunca ter afetado ninguém pro resto da vida.

Gabrielle Pires: Você pratica esportes?

Pedro Nigro: Sim, freqüentemente. Sou apaixonado por futebol desde pequeno mas na adolescência me apareceu o basquete como hobby. Mas o futebol ainda é a minha paixão e vício, diga-se de passagem.

Gabrielle Pires: Acredita que o esporte pode mudar a vida de uma pessoa?

Pedro Nigro: Acredito. Tanto financeiramente quanto um jeito de fugir das ruas, das drogas essas coisas que as crianças estão expostas nas favelas e comunidades carentes. O esporte junto com a educação é a melhor saída pra uma vida mais saudável e melhor financeiramente. Era onde o governo, que tenho tanto nojo, devia investir de verdade. Veja o Japão, depois das bombas investiu 70% da verba do FMI nisso e hoje é uma potência.

Gabrielle Pires: Que carreira profissional pretende seguir?

Pedro Nigro: Como técnico em eletromecânica, curso que faço hoje. Mas ainda sonho com algo que envolva o futebol ou até mesmo a música se possível ainda vou lutar por isso.

Gabrielle Pires: E daqui a uns 10 anos? Se imagina envolvido de verdade com qual dessas três carreiras?

Pedro Nigro: Sendo bem realista ainda como técnico e talvez com uma engenharia de produção no currículo. Já em um posto maior como supervisor ou gerente em uma grande multinacional do ramo do petróleo.

Gabrielle Pires: Tem alguma coisa esotérica em que acredita?

Pedro Nigro: Não sei se alguma coisa em que acredito seja considerado esotérico, acredito que não.

Gabrielle Pires: Você acredita que, quem influenciou mais na sua personalidade? Seu pai ou sua mãe?

Pedro Nigro: Minha mãe. Sou muito parecido com ela quase tudo e acho que na personalidade pesou a questão maternal, apesar de ver sempre um pouco do meu pai em mim. Ainda vejo muito dos meus pais nos meus atos, não consigo ver um Pedro Nigro formado sem nenhuma influência ainda. Espero ver esse Pedro Nigro pro meu filho no futuro poder se espelhar nele.

Gabrielle Pires: O que tem lido?

Pedro Nigro: Acabei de começar a ler "Comer, Rezar, Amar". Já vi que vou gostar mais da versão masculina "Beber, Jogar, F@#er", mas não sou um bom leitor apesar de gostar dos livros do Dan Brown.

Gabrielle Pires: Você acha que, religião está mais ligada a guerra ou a paz?

Pedro Nigro: O conceito das religiões sempre estão ligadas ao caminho da paz mas as divergências entre elas sempre levam a guerra. Sendo elas expostas como as cruzadas ou até mesmo por debaixo dos panos igual acontece muito hoje e ninguém sabe ou notícia.

Gabrielle Pires: Mesmo assim, você tem religião, certo? O que te faz manter o foco e a fé?

Pedro Nigro: Certo. Acreditar que Jesus é o único caminho pra Deus. Pra mim, você tem que ver a religião como aquela lenda do arco-íris, haverá o pote de ouro no fim, acredite e você o achará. Um provérbio achado em Mateus (21,22) resume um pouco minha fé. "Tudo o que pedirdes com fé na oração, vós o alcançareis."

Gabrielle Pires: Você foi a peça essencial para que eu fizesse o blog. Vendo-o atualmente, como se sente por ter me influenciado?

Pedro Nigro: Muito orgulhoso! Seria muito egoísta da minha pessoa ler seus artigos e ninguém mais poder desfrutar. Acho que não fiz nada demais, apenas a incentivei de passar uma linha entre a vergonha e a exposição. Simples.

Gabrielle Pires: Indique 3 twitters

Pedro Nigro: Só três é injusto mas.. @MarcusPh @mayarabaiao e @juurocher


Postado por Gabrielle Pires Silva às 15:32 17 comentários
sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Entrevista VI

O entrevistado de hoje se chama Pedro, foi o motivo da criação do meu blog através de seu incentivo e nessa entrevista expõe sua opinião sob...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 15:32 17 comentários
domingo, 17 de outubro de 2010

Último


Desejo com cada última gota de suor, que esse seja meu último texto sobre você. Que eu nem escreva mais. Mas que eu pare de lamentar. Que eu nem escreva mais, mas que eu pare de me torturar com palavras, belas palavras sobre quem um dia me fará chorar. Desejo com cada fibra do meu ser, que eu seja forte, que a inspiração fique do meu lado e que os bons momentos sejam motivos de textos tão fortemente carregados de emoções quanto esses, que fiz pra ti, e sequer sabes. Eu não me importaria se ao menos tivesse algum valor. Mas diante dessa mera falta de reconhecimento, me prometo, me esforço e acredito que, esse será o último lamento e a última lágrima que limparei sobre você. Afinal, uma hora eu tinha que decidir isso.

Escrito por: Gabrielle Pires Silva (Tequila)

Postado por Gabrielle Pires Silva às 23:25 8 comentários
domingo, 17 de outubro de 2010

Último

Desejo com cada última gota de suor, que esse seja meu último texto sobre você. Que eu nem escreva mais. Mas que eu pare de lamentar. Que e...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 23:25 8 comentários
sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Fim

Acho que quero ficar sozinha. Não sei se isso é um medo, ou é uma defesa. Talvez o meu passado explique o porquê de eu estar sempre assim, meio que na defensiva. Não sei onde vendem corações, então não comprei um novo para mim ainda. Estou usando aquele mesmo surrado de sempre. Com aquelas mesmas remendas e cicatrizes. Não sei onde comprar sorrisos. Continuo tentando fazer do meu, o mais sincero possível, mas ele ainda sim, é um sorriso quebrado, e com isso, nem sempre consigo sorrir com a alma. Acho que eu preciso mesmo estar sozinha. Recolher meus pequenos pedaços e construir de mim mesma, uma nova imagem, um novo estado de espírito. Acho que preciso ter mais força, mais coragem, e aprender a me recuperar das quedas mais rápido. Preciso levantar sozinha quando eu cair. Acho que de todas as partes ruins da minha vida, você foi a pior, por ter sido a melhor, e por não estar sendo mais. Acho que é assim que acaba. Fim.

Escrito por: Gabrielle Pires Silva (Tequila)

Postado por Gabrielle Pires Silva às 01:36 12 comentários
sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Fim

Acho que quero ficar sozinha. Não sei se isso é um medo, ou é uma defesa. Talvez o meu passado explique o porquê de eu estar sempre assim, m...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 01:36 12 comentários
terça-feira, 12 de outubro de 2010

Feliz dia das crianças


Sinto no ar aquele mágico e melancólico cheiro que eu conheço bem. Cheiro de saudades. Cheiro que já senti antes, e que me causam profundos sentimentos, que me fazem trazer de volta a atualidade, tudo aquilo que esteve guardado. Toda a base que eu tive para me transformar em mim mesma atualmente. Saudade de ser criança. Saudade de quando soltar pipa era meu objetivo. Crescer e me tornar capaz de fazer aquilo, como os meninos da rua. E ser atriz, dentista, veterinária, trabalhar em um hospital do câncer, salvar vidas todos os dias. Eu fazia isso, nas minhas brincadeiras. Elas cabiam em uma viagem sem fim, onde eu era quem eu quisesse, e trocava essa escolha em questão de minutos. Só sabia bem de uma coisa: era a melhor coisa do mundo. Sinto a mesma sensação dos joelhos ralados, e o medo de passar remédios nos ferimentos. Lembro do medo de abandonar as rodinhas da bicicleta, e sentir medo de cair. Mas lembro principalmente de estar orgulhosa por pedalar sozinha. Lembro o quanto eu queria atingir uma idade, que eu pudesse ser ‘gente grande’. Inocência. Tudo era doce, tudo era divertido, não tinha tanta preocupação. Não sabia o que era a realidade, e nem queria saber. Acreditava plenamente que a vida real se encontrava no meu quarto, com as minhas bonecas. Não poderia haver nada mais importante para mim. Não naquele momento. Cada uma nova, cada pedacinho novo de imaginação aguçado, pronto para transformar-me em alguém que, gosta de criar. Sinto tantas saudades que quase me tele transporto para aquela época. Época que eu chorava querendo ser ‘mocinha’. Agora queria que algumas vezes, as pessoas me mimassem e não me punissem, assim como se eu fosse uma criança, inexperiente e que só quer se divertir.

Escrito por: Gabrielle Pires Silva (Tequila)

Postado por Gabrielle Pires Silva às 01:53 9 comentários
terça-feira, 12 de outubro de 2010

Feliz dia das crianças

Sinto no ar aquele mágico e melancólico cheiro que eu conheço bem. Cheiro de saudades. Cheiro que já senti antes, e que me causam profundos...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 01:53 9 comentários
domingo, 10 de outubro de 2010

Desenho

Concentrei-me no que tinha de melhor. Foquei no seu sorriso, fiz um esboço e acabei por sorrir também. É que sua imagem sempre me faz de boba, brinca com meu coração, e como uma grande invasão, sempre me deixa arrepiada, da cabeça aos pés. Medi minuciosamente seus traços, e os transpassei ao papel, não queria ser injusta com suas formas, com seus detalhes. Apontei mais uma vez os lápis, riscos suaves, completando a subjetividade em que eu te via, apenas eu. Reforcei a intensidade que seu olhar transmite, e acendi o brilho que emite. Com mais riscos e rabiscos, realcei a forma que podia te ver, e que talvez, você nem mesmo se visse desse jeito, e ao olhar este desenho, nem saberia que era o seu retrato.

Escrito por: Gabrielle Pires Silva (Tequila)

Postado por Gabrielle Pires Silva às 02:09 9 comentários
domingo, 10 de outubro de 2010

Desenho

Concentrei-me no que tinha de melhor. Foquei no seu sorriso, fiz um esboço e acabei por sorrir também. É que sua imagem sempre me faz de bob...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 02:09 9 comentários
sábado, 9 de outubro de 2010

Entrevista V

A entrevistada de hoje se chama Juliana, porém, é conhecida por todos como Yuca Tequila. Tem 16 anos, está cursando o 2º ano do E.M, fazendo formação geral, porém, pretende atuar na área de saúde. Para conhecer melhor, pode segui-la em seu twitter @yucatequila

Gabrielle Pires: Como se vê daqui a 15 anos?

yuca tequila: Essa pergunta já se passou pela minha cabeça e sinceramente? Não cheguei a nenhuma conclusão

Gabrielle Pires: Nas últimas 24 horas você...

Chorou?

yuca tequila: Não

Gabrielle Pires: Disse 'eu te amo'?

yuca tequila: Sim

Gabrielle Pires: Sentiu vergonha?

yuca tequila: Não

Gabrielle Pires: Viu alguém que não via há muito tempo?

yuca tequila: Também não

Gabrielle Pires: Uma palavra que define sua personalidade

yuca tequila: Forte

Gabrielle Pires: Como você se sente, sendo jovem, em meio a uma juventude que banaliza e comercializa o sexo e o amor o tempo todo? Que posição você toma diante disso?

yuca tequila: Eu acho isso completamente errado, porque no meio disso tem pessoas com sentimentos, que fazem isso por uma mera necessidade.

Gabrielle Pires: Acredita que beleza e inteligência não caminham juntas?

yuca tequila: Não, pelo contrario eu acredito sim, as pessoas banalizam muito aquelas que tem um corpo ou um rosto bonito

Gabrielle Pires: Como define seu estilo musical? O que têm ouvido?

yuca tequila: Ultimamente tenho escutado bastante sertanejo, mas costumo escutar todos os estilos

Gabrielle Pires: Voltando sobre a questão amorosa que têm sido banalizadas, como você costuma lidar com seus próprios sentimentos e seus relacionamentos?

yuca tequila: Eu gosto de guardar meus sentimentos e expressar apenas o que eu acho necessário, possamos dizer que sou bastante fria quanto a isso, e meus relacionamentos? São curtos...

Gabrielle Pires: Uma pessoa que te inspira.

yuca tequila: Acho que não tenho nenhuma

Gabrielle Pires: Acredita que o mundo possa acabar em 2012?

yuca tequila: Talvez, o medo bate as vezes né?

Gabrielle Pires: E se acabasse o que você não queria deixar de fazer?

yuca tequila: Conhecer a Inglaterra

Gabrielle Pires: Uma coisa que faz seu coração bater mais rápido e mais lento ao mesmo tempo

yuca tequila: Acho que nunca senti isso

Gabrielle Pires: Uma coisa que as pessoas não costumam saber sobre você.

yuca tequila: O que estou sentindo

Gabrielle Pires: Fofoca é uma coisa que todo mundo critica, mas todo mundo faz. Como você costuma lidar com isso?

yuca tequila: Eu costumo não ligar pra não continuar rolando a fofoca, mas tem vezes que a paciência se esgota

Gabrielle Pires: Indique 3 twitters

yuca tequila: @kaka_badyboy @silvinhodiva @quandobebo

Se quiser ser entrevistado também, pode pedir através dos comentários, ou do meu twitter @gatitatequila que em breve postarei novas entrevistas.

Postado por Gabrielle Pires Silva às 03:01 13 comentários
sábado, 9 de outubro de 2010

Entrevista V

A entrevistada de hoje se chama Juliana, porém, é conhecida por todos como Yuca Tequila. Tem 16 anos, está cursando o 2º ano do E.M, fazendo...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 03:01 13 comentários
quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Grande Amigo


Dizem que os amigos, a gente pode escolher. Comigo não foi bem assim. Ou melhor, com a gente. Sabe quando um cachorrinho te segue da rua até em casa, então você sabe que é hora de adotá-lo? Assim como um pressentimento dos dois, uma forma conjunta de amor a primeira vista. Amor sem paixão, amizade pura, doce e sincera. Desde então, estes estarão juntos e, com o passar do tempo, saberão lidar com as manias, as incertezas, as grosserias e até mesmo as faltas de assunto um do outro. Saberão rir e fazer rir. Saberão chorar e calar o choro. Saberão cuidar e ser cuidados, mas apesar de tudo, saberão estar juntos, mesmo quando estiverem longe.

São esses amigos, que nós nem mesmo escolhemos. Eles simplesmente estão ali, e quando nos damos por conta, eles fazem parte da nossa vida, da nossa rotina, sabem o que você vai dizer antes mesmo que gesticule, antes mesmo que pense em pronunciar as primeiras sílabas. São esses os poucos, amigos fiéis, que por incrível que possa parecer te amam verdadeiramente apesar de conhecer o seu mais íntimo. Aquilo que você tenta esconder até de você mesmo, porque acha patético, é isso que seu amigo achará peculiarmente ainda mais especial, mesmo que o irrite às vezes. Como por exemplo, a sua voz cantarolando aquelas mesmas músicas que parecem mais surradas na sua voz. Acredite ou não, isso é possível.

Acontece que com muito tempo de convivência, aquela doçura e intimidade se misturam, então formam uma harmonia perfeita, que faz com que um grito, ainda pareça engraçado, e um gesto a mais, ou a menos, pareça sempre tão previsível. Eu sei que, nem todos têm essa sorte, nem todos têm essa cumplicidade, e muito menos essa certeza, essa devoção, mas ao encontrar, não deixe escapar, e não deixe de saber que não haverá nenhum outro momento como esse. Não deixe de ter certeza de que você tem um grande amigo.

Escrito por: Gabrielle Pires Silva (Tequila)

Postado por Gabrielle Pires Silva às 20:16 7 comentários
quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Grande Amigo

Dizem que os amigos, a gente pode escolher. Comigo não foi bem assim. Ou melhor, com a gente. Sabe quando um cachorrinho te segue da rua at...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 20:16 7 comentários
terça-feira, 5 de outubro de 2010

Logo eu e você


É estranho como eu e você já não temos nada a ver. Logo eu e você. Eu nem tenho palavras, nem gestos. Você não é mais quem costumava ser comigo, você não faz mais parte, não está mais do meu lado e todos os lugares vazios que eu vejo, eu sinto sua falta. É estranho como minha mente vagava perambulando e encontrava com a sua, no mesmo pensamento. Hoje mal sei onde te encontrar.

Dói lembrar como mesmo com os corpos tão distantes, tínhamos uma ligação tão forte. Hoje estamos frente a frente e nem mesmo conseguimos nos olhar. Estamos definitivamente distantes.

Diante de toda essa mudança, só posso sentir o caos se alastrando pelo meu corpo. Não que eu ainda esteja esperando, não que eu ainda acredite, apenas porque sinto sua falta. Apenas porque eu sei que fui um capítulo muito curto da sua longa história, enquanto você ocupou parte do meu livro. E continua por ocupar.

De certa forma, quero sempre te ver voando belamente, com a intensidade e a velocidade descontroladas. Quero te ver feliz, porque é o motivo que me restou para ainda crer, que existe mesmo, um propósito nisso tudo.

Escrito por: Gabrielle Pires Silva (Tequila)

Postado por Gabrielle Pires Silva às 00:05 8 comentários
terça-feira, 5 de outubro de 2010

Logo eu e você

É estranho como eu e você já não temos nada a ver. Logo eu e você. Eu nem tenho palavras, nem gestos. Você não é mais quem costumava ser co...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 00:05 8 comentários
sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Entrevista IV

Pedindo desculpas em primeiro, por não ter postado entrevistas na semana passada. Hoje a entrevistada se chama Mariana Mana, está cursando o 2º ano do E.M, fazendo Formação Geral e tem 16 anos. Podem conhecê-la melhor através do @maryhmana


Gabrielle Pires: Último filme que assistiu

Mariana Mana: Antes que termine o dia, não me canso de ver esse filme

Gabrielle Pires: Último livro que leu

Mariana Mana: Sussurro

Gabrielle Pires: A música que não sai da sua cabeça.

Mariana Mana: Tudo que eu falei dormindo - Detonautas.

Gabrielle Pires: Um objetivo que pretende alcançar até o fim deste ano

Mariana Mana: Emagrecer, se Deus quiser,

Gabrielle Pires: Falando em emagrecer, como você lida com a sua auto-estima?

Mariana Mana: Ah, sempre em conflitos, claro. Tem dia que eu acordo de boa e acho tudo lindo, e dias que acordo desesperada desejando comer só mato por causa das gordurinhas.

Gabrielle Pires: E o que te traz confiança para que esses conflitos não atinjam seu bem estar e bom humor?

Mariana Mana: Boa pergunta... Eu acho que é a força que meus amigos e família me passam de não me deixar abalar por isso e que eu sou capaz.

Gabrielle Pires: Você acredita que existem respostas para tudo? Se sim, onde?

Mariana Mana: Acredito sim, pois agente vive caçando respostas para tudo. E eu acho que vem mais do aprendizado de mundo, do modo de como a gente vê as coisas, porque nem sempre a minha resposta pode ser a sua resposta.

Gabrielle Pires: Qual a sua opinião sobre os escapismos que os jovens têm utilizado atualmente? Como por exemplo, o uso abusivo de álcool, drogas e outros entorpecentes...

Mariana Mana: Ah pra mim os jovens utilizam álcool demais, drogas e etc, pelo fato de serem cabeças fracas, a maioria é por influencia de amigos e ambiente em que vivem, mas também vejo por um lado de revolta, quererem se mostrar uma geração poderosa, quererem se sobressair.

Gabrielle Pires: E qual sua atitude e postura diante disso?

Mariana Mana: Beber eu bebo sim, mas nunca exagerei sempre soube me controlar, agora o resto eu quero distância. Porque eu penso assim, tem tanta coisa boa pra gente fazer e descobrir no mundo, porque logo escolher as que eu sei que não valem à pena?

Gabrielle Pires: Se você pudesse ser outra pessoa por um dia, quem seria?

Mariana Mana: Por incrível que pareça, eu gostaria de ser Carlos Drummond de Andrade... Só pra invadir aqueles pensamentos super inteligentes, o cara é fera.

Gabrielle Pires: E uma pessoa que gostaria de poder entrevistar?

Mariana Mana: Ah o Joe Jonas, só pra ter o prazer de ficar a centímetros dele.

Gabrielle Pires: Qual você acharia a parte mais difícil de ser vigiada 24h por dia em um Reality Show?

Mariana Mana: A mais difícil, seria a convivência, aceitar opinião de pessoas que você nunca lidou antes. Seria barra pesada. Mas o resto seria de boa.

Gabrielle Pires: Mesmo expor suas imagens e seus defeitos para livre julgamento?

Mariana Mana: Não tenho vergonha de meus defeitos, pois é como diz o velho ditado, ninguém é perfeito. E não precisa de um Reality Show para eu ter uma imagem que seja livremente julgada, hoje em dia todos julgam sem ao menos conhecer.

Gabrielle Pires: Existe alguma coisa sobre você que você acha que surpreenderia as pessoas?

Mariana Mana: Acho que seria a minha infância, sempre fui um moleque.

Gabrielle Pires: Quem, pra você, influenciou muito na sua personalidade e no modo de ver a vida?

Mariana Mana: Ninha família, com certeza.

Gabrielle Pires: Uma frase ou uma metáfora.

Mariana Mana: Viver e não ter a vergonha de ser feliz.

Gabrielle Pires: Indique 3 twitters

Mariana Mana: @ehtenso @viroumodinha @frases_amor

Se quiser ser entrevistado também, pode pedir através dos comentários, ou do meu twitter @gatitatequila que em breve postarei novas entrevistas.

Postado por Gabrielle Pires Silva às 17:01 6 comentários
sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Entrevista IV

Pedindo desculpas em primeiro, por não ter postado entrevistas na semana passada. Hoje a entrevistada se chama Mariana Mana, está cursando o...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 17:01 6 comentários