quinta-feira, 30 de junho de 2011

Saudades

Texto sugerido e dedicado por e para Jéssica Rocha e Thaís Lima com o tema: Saudades


Eu sinto saudades. Mas não de você. Sinto saudade do que costumávamos ser, do que costumávamos fazer. Sinto amargamente a falta de tudo o que tínhamos planejado, e dos dias mais bobos em que só ríamos um do outro. Não me acostumo por que sinto falta de quem eu era na sua presença e de quem eu podia ser. Quem eu via em minha frente não era você, então mesmo que eu te veja de novo, continuarei sentindo falta de te ver. Ora, você que era tão único agora é qualquer pessoas que cruzou e cruza meu caminho por vezes. Sinto saudades. De mim, de menos futilidade e de quando você não tinha por que me magoar. Absurda a forma que me deparo e comparo com o passado. Por que você é o de menos nessas lembranças. O que mais me faz falta é como você nos transformava em nós.
E nesse meio em saudades e desleixo, tudo continua em perfeita ordem natural. As coisas rotineiras continuam acontecendo, os casais continuam rompendo, brigando, se reconciliando, casando e tendo filhos. As professoras continuam reprovando, aprovando, recuperando e corrigindo, os médicos continuam medicando, salvando e revisando. Só a minha, somente minha rotina foi alterada neste vazio que insisto em chamar de saudades. Saudades não de você, mas das nossas risadas altas e dos nossos segredos no meio da noite. Saudades só por um vício, ou por uma rotina quebrada. E quando eu penso não sentir nem mais saudades, sinto saudades de senti-las. 

Escrito por: Gabrielle Pires
Postado por Gabrielle Pires Silva às 22:42 17 comentários
quinta-feira, 30 de junho de 2011

Saudades

Texto sugerido e dedicado por e para  Jéssica Rocha  e  Thaís Lima  com o tema: Saudades Eu sinto saudades. Mas não de você. Sinto saudade...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 22:42 17 comentários
terça-feira, 28 de junho de 2011

Bom é ter um amigo

Texto sugerido e dedicado por e para Yuca Tequila , minha melhor amiga.
Bom construir uma amizade. Bom poder ter com quem contar nas horas difíceis e ter com quem dançar na chuva. E também em baixo do sol quente. Bom mesmo é ter alguém que conhece apenas seus olhares, suas palavras subentendidas, suas gírias, sinais, gestos e até quando está imóvel. Ter com quem dividir as experiências, esclarecer as dúvidas. Ter com quem passar a vida.
Dos amores que tive, das amizades que tenho, nunca ousei abandonar os amigos. O amor dos amigos foi o que me acolheu no desamor e na dor. Felizes são os que têm amigos. Estão salvos da escuridão. Cada um deles é como um ponto de luz, clareando nossa vida, nossa direção.
De cada amigo levo uma parte, uma lembrança uma façanha, uma aventura. Bom é construir um caminho com quem te ama. Dar a mão, dar o ombro, dar o abraço e receber exatamente o mesmo de volta. E sem nem pedir. Ter para onde correr quando o infinito parece ainda mais longo e ter para onde voltar quando fugir de si mesmo se tornar cansativo. Os amigos nunca te deixam só, nunca te deixam perder a fé. Até emprestam a deles, caso isso seja necessário. Feliz é aquele que não só tem, como é um amigo. Amigo que é amigo, nunca fica só ou perdido.

Escrito por: Gabrielle Pires Silva
Postado por Gabrielle Pires Silva às 14:54 12 comentários
terça-feira, 28 de junho de 2011

Bom é ter um amigo

Texto sugerido e dedicado por e para  Yuca Tequila  , minha melhor amiga. Bom construir uma amizade. Bom poder ter com quem contar nas horas...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 14:54 12 comentários
domingo, 26 de junho de 2011

Vida Literária

Dedicado para Laila Saltoris

Eu troquei os pontos por vírgulas. Às vezes, até mesmo das vírgulas esqueci. Não quis complicar as coisas. E um texto simples é aquele que contém poucas pontuações, poucas palavras difíceis. Substituí todo aquele ódio por compreensão.  Eu tirei tudo do lugar e coloquei mais perto de mim o que me agradava. Bem perto, quase me sufocando, para não ter espaço de me preocupar com o que me fazia mal. Eu troquei os blackouts por cortinas leves. Quero ver o sol quando ele aparecer. Quero vê-lo se pondo, me dizendo que volta amanhã, que cansou de trabalhar. Substituí as palavras. Descobri que posso dizer as mesmas coisas com diferentes impactos quando mudo pequenamente os vocábulos, a pronúncia ou o tom. Mudei a forma de olhar os erros dos outros, comecei a me por em seus lugares e imaginar minhas reações. Talvez eu fosse pior do que eles. Bem pior.
Os pontos, as vírgulas e os parágrafos que coloquei entre tanta gente e tanta coisa que eu passei, só prolongaram uma poesia infeliz que escrevi. Por isso quero menos pausas na leitura, menos mudanças de assunto. Quero tudo na mesma estrofe, tudo no mesmo parágrafo, para que de forma rápida seja tudo perfeito. Trocando o ruim pelo bom e adaptando o impossível para considerável. Aprendi claramente que substituições que fazemos em nossas vidas, tornam as coisas insubstituíveis claramente desinteressantes. Descobri isso quando troquei os “adeus” por um breve “até logo” e então nunca mais chorei enquanto me despedia. 

Escrito por: Gabrielle Pires
Postado por Gabrielle Pires Silva às 13:54 18 comentários
domingo, 26 de junho de 2011

Vida Literária

Dedicado para  Laila Saltoris Eu troquei os pontos por vírgulas. Às vezes, até mesmo das vírgulas esqueci. Não quis complicar as coisas. E ...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 13:54 18 comentários
sexta-feira, 24 de junho de 2011

O melhor dos sentimentos

Texto dedicado à Thaiana Correa pela sugestão do tema: Relacionamentos.

Já dizia a minha avó. Fácil viver, difícil conviver. Essa frase nunca saiu da minha cabeça. Entender a nossa mente já é um desafio constante, quem dirá entender a de outra pessoa e ainda conectá-la a sua?! Desse sacrifício é que percebemos o amor. É a partir daí que nos relacionamos intimamente, pequenamente ou sutilmente com as pessoas. E descobrimos qual delas torna a nossa vida mais especial.
Os relacionamentos nos trazem um pouco do conjunto para o individual. Formamos um só a partir de dois, e com isso, sabemos que não podemos nos perder deste, que nos completa de forma única, que se arrancado deixará uma grande parte vazia, irreparável.
Mas em um mundo cada vez mais egocêntrico, temos tanto medo de nos dividirmos em corações, nos espalharmos e recebermos outras partes, que nos fechamos em um mundo solitário, cada vez mais distante do que chamaríamos de ‘amor’.
Existem sim, aqueles mais fáceis de relacionar. Com um vasto repertório de atividades que pratica, com um grande senso de humor, um leque de assuntos, histórias, um sorriso quase inquebrável, e ainda uma compreensão assustadora para qualquer tipo de situação. Contrapartida, existem aqueles, naturalmente difíceis, imponentes, determinados, teimosos e ciumentos. Estes são maioria, claro. E como conviver sempre batendo de frente? Aí estamos novamente diante da teoria da minha avó. Difícil conviver. Mas não por isso impossível.
Sabemos que amamos pessoas difíceis, quando passamos por cima de tudo para estarmos bem com elas. Elas sempre sabem que são amadas primeiro. Antes das pessoas mais fáceis. Pessoas fáceis são amadas e admiradas por qualquer um. Qualquer um suporta a companhia. As difíceis não. Sabem reconhecer o amor verdadeiro a partir da aceitação. Aqueles que não desistem delas, são os escolhidos, os especiais.
Enquanto o mundo vai interagindo, se esquece de relacionar-se. Virtuais, somos peças vagas e virtuais. Perdemos contato, nos perdemos de vista e esquecemos até a voz das pessoas. Mais fácil ainda esquecermos-nos dos defeitos, das manias. Perdemos o difícil convívio e nos enganamos a respeito das pessoas. Perdemos tempo. Afinal, é dessa real convivência que nasce o melhor dos sentimentos. E desse melhor dos sentimentos surge esse tão temido relacionamento, que cá pra nós, não devia ser tão difícil assim. 

Escrito por: Gabrielle Pires
Postado por Gabrielle Pires Silva às 17:22 12 comentários
sexta-feira, 24 de junho de 2011

O melhor dos sentimentos

Texto dedicado à  Thaiana Correa  pela sugestão do tema: Relacionamentos. Já dizia a minha avó. Fácil viver, difícil conviver. Essa frase n...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 17:22 12 comentários
quinta-feira, 23 de junho de 2011

Desapego

Post sugerido e dedicado por e para Mariana Mana

Estou diminuindo. Os vínculos, os dramas, a saudade, a consideração e as más companhias. Estou vivendo mais comigo mesma e percebendo o bem que me faço. Estou cortando os laços que me apertam. Decidi me desfazer de tudo o que não é meu e que por tanto querer que fosse, acreditei ser. Escolhi me libertar do sentimento que me aprisionava, do medo que me deixava parada. Percebi a minha necessidade de me desapegar de lembranças, de crenças equivocadas e de ilusões perdidas.
Decidi me desapegar de mágoas também. Deixam-me presa em um passado que já não é meu. Não no presente. Diminuí os contatos com as pessoas que não me fazem bem, com os que me enganam. Reduzi a quantidade de sorrisos distribuídos. Só sorrio para quem me faz feliz.
Sorte a minha perceber isso logo. Sorte minha cortar vínculos com quem não me merece. Sorte nossa estar longe agora de todos que nos querem mal. Desapegar do que não te faz feliz, não devia ser tão difícil, já não há por que viver cercado de fogo quando não queres conviver com fumaça.

Escrito por: Gabrielle Pires 
Postado por Gabrielle Pires Silva às 14:46 17 comentários
quinta-feira, 23 de junho de 2011

Desapego

Post sugerido e dedicado por e para  Mariana Mana Estou diminuindo. Os vínculos, os dramas, a saudade, a consideração e as más companhias. ...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 14:46 17 comentários
terça-feira, 21 de junho de 2011

Indecisão

O post de hoje é uma sugestão de Andressa Carvalho e, portanto, será dedicado a mesma.


Toda escolha tem cinqüenta por cento de chances de dar certo. Escolher entre o preto e o branco, a esquerda ou a direita, Norte ou Sul, cara ou coroa. Parece até fácil quando se põe desta maneira.
Colocamo-nos diante da situação e descobrimos que isso certamente é mais difícil do que parece. Exatamente por que há grandes possibilidades de que dê certo, mas também de que dê errado. E pode ser um pouco demais conviver com tais culpas, frustrações ou ressentimentos de si mesmo.
Dúvidas nos colocam nas situações extremas, com um pé em cada pólo. Nos faz perder-nos entre o que é certo e o que é errado e nos impossibilita de enxergar a linha que divide o bem do mal. Daí partimos a nos sentir indecisos, tomados pelos “prós e contras”, pelas probabilidades. Não sabemos se decidimos seguir o lado racional ou o emocional. Complicamo-nos nestas pequenas e grandes partes, enchemo-nos de dúvidas e então, estamos afogados numa indecisão que só nós mesmos podemos resolver.
Começamos a ter medo do que as nossas escolhas vão resultar na vida de outras pessoas, esquecemos que toda decisão que tomamos, faz alguém sofrer e faz alguém feliz ao mesmo tempo. Começamos a nos importar mais com isso, do que com os resultados que isso traria para nossa própria vida. Ficamos mais indecisos ainda.
Sabemos mas por vezes, fingimos não saber, que tudo sempre trará uma parte ruim e uma boa. Nada é cem por cento. O que vale lembrar é qual é a parte ruim que você poderia suportar. Conveniência, conselhos, influência... Isso pode ser descartado. Decida com sua cabeça e seu coração. Não com os outros. A indecisão nada mais é do que um exercício para mente e para os sentimentos. A partir daí, descobrimos quem e o quê verdadeiramente nos importa, e com isso, finalmente conseguimos decidir. 

Escrito por: Gabrielle Pires 
Postado por Gabrielle Pires Silva às 15:38 16 comentários
terça-feira, 21 de junho de 2011

Indecisão

O post de hoje é uma sugestão de  Andressa Carvalho  e, portanto, será dedicado a mesma. Toda escolha tem cinqüenta por cento de chances d...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 15:38 16 comentários
domingo, 19 de junho de 2011

Filme

Músicas, drama, luz baixa, fogo, olhares pequenos e discretos. Palavras doces, beijos, mais um pouco de drama. Amor. Planos, futuro, palavras cruzadas, vida, dois, um. Momentos, eternidade, segundos. Fim. Créditos.
Penso já ter visto e volto a ver. Palavras clichês sendo usadas da mesma maneira. Apenas mais um pouco de drama. Realidade surreal. Eles querem nos vender tudo isso. Vejo-me comprando. A luz de velas um romance. Uma eterna comédia cheia de lágrimas. O que é mesmo que querem dizer com isso? Querem ironizar a parte ruim que nos cabe?
 A vida em um segundo, as despedidas eternas. A parte em que a vida corre enquanto a trilha sonora se prolonga. Penso ser protagonista, ou até antagonista. Descubro-me por vezes figurante. Não encontro um papel ideal. Mais um pouco de ironia para meu roteiro. 

Escrito por: Gabrielle Pires 
Postado por Gabrielle Pires Silva às 21:40 13 comentários
domingo, 19 de junho de 2011

Filme

Músicas, drama, luz baixa, fogo, olhares pequenos e discretos. Palavras doces, beijos, mais um pouco de drama. Amor. Planos, futuro, palavra...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 21:40 13 comentários
sexta-feira, 17 de junho de 2011

Frases soltas (Parte II)

Postando a continuação e finalização do post de frases soltas que foi  postado em 10 de junho de 2011. As últimas 14 frases soltas achadas e arquivadas.

15. Você facilmente se surpreende com as pessoas de uma forma ruim, mas dificilmente se surpreende de uma forma boa. Talvez por que sempre esperemos mais.


16. E se eu te deixasse ir? Você voltaria? Ou eu não te veria mais?


17. Eu segurei sua mão e eu percebi que você sorria com isso. Isso me causou um tremor nas pernas, mas me fez sorrir também.


18. Você me transmite tantas lembranças que eu já nem sei mais se acho bom ou ruim estar perto de você.


19. Era como se eu já soubesse, mas preferi arriscar. Isso não quer dizer que eu goste de me machucar.


20. Você é o único motivo do meu coração estar tão acelerado. Então porque justo você me pede pra ter calma?


21. De fato, eu sei que fiquei insana só de te ver. Mas eu só não queria que aquela fosse a última vez.


22. Pra que ousar em ferir um coração que só quer te ver sorrir?


23. Se for pra não me amar depois que o sol nascer, vou querer ficar no escuro pra sempre


24. Onde o futuro se encontra é onde o medo se esconde.


25. Onde perdemos a razão é justamente onde deixamos nosso coração


26. O medo muitas vezes pode te parar, mas faça disso uma pausa, um descanso, uma reflexão, e não um empecilho que vá limitar seu fim.


27. Promessas são só promessas. E palavras, nem promessas chegaram a ser.


28. E sabe o que é pior? Amor acaba não tendo nada a ver com merecimento.


Escritas por: Gabrielle Pires Silva

Postado por Gabrielle Pires Silva às 17:50 7 comentários
sexta-feira, 17 de junho de 2011

Frases soltas (Parte II)

Postando a continuação e finalização do post de frases soltas que foi  postado em 10 de junho de 2011 . As últimas 14  frases soltas achadas...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 17:50 7 comentários
quarta-feira, 15 de junho de 2011

Asas que Deus te deu

Deus te deu asas. Você pode voar quando quiser. E voar não é o ato de levitar, de tirar os pés do chão e desafiar a gravidade. Voar é ir além das suas próprias expectativas, acreditar em si mesmo. Dançar mesmo fora da hora, sorrir mesmo quando as lágrimas estão insistindo em cair.
Voar é desafiar os limites por pura pretensão. E conseguir fazê-lo. Voar é encontrar em si mesmo uma força que te leva até o estado de espírito mais puro e verdadeiro. Deus te deu asas, não para que sobrevoe uma cidade, ou salve o planeta. Muito menos para que compita quem voa mais alto. Deus te dá asas para levantar vôo nessa difícil jornada que é a vida. Para que encantes a todos. Para que seu sorriso mais sincero seja o único motivo da paz até dos seus inimigos.
Use suas asas para ir além do que esperou ir. Para superar teus medos, encarar a dura realidade e ainda sim, se quiser comemorar apenas pelo simples fato de ter lindas asas, comemorar. As nossas forças estão exatamente aí. Nesses pequenos atos de levantar vôo mesmo depois de estar com as asas feridas, ou simplesmente batê-las tão forte, ignorando a dor e voltar a voar de forma leve. Deus te deu asas. Por que estás parado?

Escrito por: Gabrielle Pires 
Postado por Gabrielle Pires Silva às 01:21 15 comentários
quarta-feira, 15 de junho de 2011

Asas que Deus te deu

Deus te deu asas. Você pode voar quando quiser. E voar não é o ato de levitar, de tirar os pés do chão e desafiar a gravidade. Voar é ir alé...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 01:21 15 comentários
segunda-feira, 13 de junho de 2011

Mentiras sinceras

É normal do ser humano não ser honesto com ele mesmo. Esconder suas próprias intenções, planejar diálogos, se autoafirmar no espelho e dizer coisas para si mesmo bem baixinho afim de que o subconsciente escute. Isso não acontece. A gente se engana. Diz que não quer enquanto morre de vontade e engana aos outros dizendo essas mentiras que a gente quase acredita.
Depois reclamamos que as pessoas não sabem quem e como somos. Nós mentimos. Nós queremos ser outras pessoas. Nós estamos constantemente nos impondo regras, preceitos e falsos moralismos. O orgulho e a vergonha são tão inúteis. Só te impedem de por para fora seus sentimentos verdadeiros, suas vontades.
Tornamos-nos assim, um espelho embaçado. Não transmitimos toda a verdade e o verdadeiro agora parece tão subjetivo. É normal o ser humano se comportar dessa forma, afinal, é o que parece mais fácil mas nem por isso, o mais correto. 

Escrito por: Gabrielle Pires 
Postado por Gabrielle Pires Silva às 19:55 12 comentários
segunda-feira, 13 de junho de 2011

Mentiras sinceras

É normal do ser humano não ser honesto com ele mesmo. Esconder suas próprias intenções, planejar diálogos, se autoafirmar no espelho e dizer...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 19:55 12 comentários
sexta-feira, 10 de junho de 2011

Frases soltas (Parte I)

Olá meus leitores :) Pesquisando pelo meu computador, encontrei exatamente 28 frases que não se tornaram textos e ficaram perdidas esperando destino. Pois bem. Vou dividi-las em 2 posts e postá-las aqui para que, ainda que não se tornem texto, sejam também parte desse blog.

  1. Fracos são os que não assumem os próprios erros. Estão apenas cometendo mais um entre tantos.

  1. As pessoas que sabem mentir, facilmente se livram de um problema, mas mais facilmente se metem em outro.

  1. Geralmente, quem acha que tem resposta pra tudo, é quem não sabe de nada.

  1. Não quero entregar meu coração para alguém que vá fazê-lo parar de bater. E sim, por alguém que vai fazê-lo pulsar cada vez mais.

  1. Eu não quero mais uma pausa, um silêncio que parta meu coração.

  1. O egoísmo te afasta das outras pessoas, mas o engraçado é que você não vai se importar.

  1. Eu não me importo de cair e me machucar, desde que eu seja forte para me levantar e sorrir de novo.

  1. Devemos fechar os olhos e apenas sentir onde o nosso coração está. E ir para onde ele desejar.

  1. Eu vivo tropeçando, mesmo olhando por onde ando. Acho que isso já é quase uma peculiaridade minha. Nunca sei bem onde posso pisar.

  1. Se a solução dos seus problemas está em alguma outra pessoa, tenha certeza de que você tem um problema muito maior.

  1. Sempre haverá alguém que terá uma dor pior do que a sua. Você escolhe se vai usar isso como conforto ou como mais um motivo para lastimar.

  1. É preciso de mais do que coragem pra dizer a verdade em uma situação difícil.

  1. Geralmente, quem menos queremos magoar são as pessoas que amamos, mas geralmente, são justamente essas que ferimos.

  1. A força de uma pessoa não pode ser medida por suas lágrimas. Muitas vezes, chorar é a única forma de demonstrar o quão forte você é.
Escritas por: Gabrielle Pires Silva

Postado por Gabrielle Pires Silva às 16:08 9 comentários
sexta-feira, 10 de junho de 2011

Frases soltas (Parte I)

Olá meus leitores :) Pesquisando pelo meu computador, encontrei exatamente 28  frases que não se tornaram textos e ficaram perdidas esperand...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 16:08 9 comentários
quarta-feira, 8 de junho de 2011

Velas

Se choras a noite por medo do escuro, não te envergonhes. Acenda uma vela e deixe-a por perto. Se sente-se só pela madrugada, não te envergonhes de procurar uma mão para segurar. Não fujas de quem és, não negue teus sentimentos ocultos. Existem soluções mesmo que provisórias para que te sintas seguro.
Não há mal nenhum em chorar. Não precisa esconder teu rosto. Não sejas tão duro consigo mesmo quando se encara no espelho. Existe um sorriso lindo por trás desta expressão séria.
Que tenhas coragem para se libertar de si. Que tenhas bondade para superar tua maldade. Que teu coração transforme as lagartas em borboletas. Mas por favor, não chore mais escondido. Não te envergonhes de sentir dor. Não te escondas por medo de ser encontrado. Não omita tua verdade, não me dê-a pela metade. E por fim, não esqueça de acender as velas quando anoitecer.

Escrito por: Gabrielle Pires Silva
Postado por Gabrielle Pires Silva às 00:12 10 comentários
quarta-feira, 8 de junho de 2011

Velas

Se choras a noite por medo do escuro, não te envergonhes. Acenda uma vela e deixe-a por perto. Se sente-se só pela madrugada, não te envergo...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 00:12 10 comentários
segunda-feira, 6 de junho de 2011

O amor acontece

O amor acontece. Numa tarde ensolarada, em uma pequena demonstração de carinho, em uma ligação inesperada ou até mesmo em um voto de confiança. O amor acontece quando só pelo fato das mãos terem se tocado, as pernas estremecem de imediato. Acontece quando os olhares se encontram e só por isso irradiam-se. O amor acontece quando antes de dormir, você pensa numa pessoa em especial. E reza para que ela fique bem. O amor acontece nos pequenos detalhes, nas palavras doces que proferimos e depois não lembramos mais. O amor não esquece. O amor acontece e nem sempre é detectado. Ele bate a nossa porta como se fosse um cãozinho abandonado. O amor acontece nas mensagens afetivas, e nas mensagens subliminares. Acontece e faz-se acontecer nas situações mais diversas. É descoberto só a longo prazo. Faz-se notório depois de tempo, mesmo deixando pequenas evidências. Assim como as estações. Mudam, e fazem ser percebidas só no decorrer dos dias. Aquele calor do verão começa a ser substituído pelas brisas do outono e de repente, estamos em meio a uma ventania. Exatamente assim, é o amor. Ele se esconde por trás das palavras doces e dos encantamentos. Ele está incluso nos sorrisos bobos. O amor acontece para todos os tipos de pessoas, em todo tipo de lugar. O amor acontece quando menos esperamos, quando achamos que não acontecerá mais. Acontece por que tem que acontecer. E quando acontece, o amor prevalece.

Escrito por: Gabrielle Pires 
Postado por Gabrielle Pires Silva às 03:04 21 comentários
segunda-feira, 6 de junho de 2011

O amor acontece

O amor acontece. Numa tarde ensolarada, em uma pequena demonstração de carinho, em uma ligação inesperada ou até mesmo em um voto de confian...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 03:04 21 comentários
quinta-feira, 2 de junho de 2011

O tempo II

Hoje teremos um post meio diferente. Ao invés de uma imagem acompanhando a postagem, postarei um vídeo com o texto e fotos feito por mim. Não tá muito bom, mas foi feito as pressas. Obrigada.

O tempo está passando tão depressa. E parece que só percebemos quando olhamos para trás. A gente começa a perceber que o que doía já nem dói tanto mais. Ou até nos faz rir. A gente começa a perceber que se tanta coisa não tivesse dado errado, não teriam acontecido tantas outras. E começamos a lembrar das pessoas que perdemos, das pessoas que sentimos falta, das pessoas que escolhemos deixar partir e das pessoas que por mais que fiquem longe, sempre arrumam um jeito de estar perto. Descobrimo-nos mais fortes na presença de quem amamos e vivemos momentos incríveis com as pessoas as quais depositamos toda a nossa confiança. Às vezes isso dura, e se torna eterno, e às vezes acaba se tornando eterno só numa lembrança distante. Porém, ainda dentro de você. Também têm aqueles que passam tão depressa, assim como o tempo, só dando tempo de arrancar-lhe breves sorrisos, não te cativando por inteiro, mas deixando uma parte contigo. Nas fotos, nas histórias.
O tempo começa a mostrar que realmente tudo vale a pena. Ele voa, precisa-se agir rápido, tomar suas iniciativas, criar seus laços, abandonar os nós e deixar viver. Se divertir pra valer. Fazer da vida uma eterna infância. Sem tanta pressão, Sem tanta pressa. Sem tanto medo. Estar apenas ao lado de quem te faz bem, e abandonar todo o resto que te aborrece. Dançar, sorrir, chorar se for preciso, pedir desculpas também, por que não? Fazer dos amigos uma família, e saber que família, são nossos anjos.
O tempo passou realmente tão rápido, eu me perdi entre os atos, as fotos, as saudades e o que ficou. O tempo foi generoso comigo, conosco. E olhando pra trás a gente vê que realmente foi feliz, e que tudo valeu a pena.



Escrito e produzido por: Gabrielle Pires Silva
Postado por Gabrielle Pires Silva às 15:18 13 comentários
quinta-feira, 2 de junho de 2011

O tempo II

Hoje teremos um post meio diferente. Ao invés de uma imagem acompanhando a postagem, postarei um vídeo com o texto e fotos feito por mim. Nã...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 15:18 13 comentários