quarta-feira, 16 de junho de 2010

Pesadelo

De repente eu começo a ficar assustada, sentir medo do nada e ouvindo vozes. A culpa não é minha, eu sei, mas reconheço o quanto tive curiosidade. E agora que está tudo preto, eu gostaria de girar a maçaneta para abrir essa porta inexistente. Estou presa. Eu poderia gritar no tom mais agudo da minha voz, não faria a mínima diferença. Eu poderia empurrar e quebrar todos os empecilhos, mas não há nada aos redores, nem portas, janelas ou móveis. Só uma escuridão sem fim que me assusta e me puxa para sua imensidão. Eu deveria acordar, mas talvez vá ficar presa por mais um tempo nesse pesadelo.

Escrito por: Gabrielle Pires Silva (Tequila)
Postado por Gabrielle Pires Silva às 23:45 4 comentários
quarta-feira, 16 de junho de 2010

Pesadelo

De repente eu começo a ficar assustada, sentir medo do nada e ouvindo vozes. A culpa não é minha, eu sei, mas reconheço o quanto tive curios...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 23:45 4 comentários
sábado, 12 de junho de 2010

Tempo certo


Vivi pouco. Aprendi tanta coisa que nem mesmo soube como por em prática. Medi palavras e deixei-as escaparem em momentos impróprios. Sorri em má hora e chorei em delongas. A chuva que molhou meus cabelos, foi a mesma que limpou minhas lágrimas. E o sol que iluminou minha alma foi o mesmo que marcou meus esforços. Temi a distância, mantive as saudades, guardei as lembranças. Corri pro passado e perdi as contas de quantas vezes estive voando em meus devaneios de como teria sido. Me apeguei com certeza muito mais às imagens do que as pessoas. E me decepcionei por isso. Tive pressa e mesmo assim andei devagar. Tentei deixar o tempo decidir mas tomei partido. Encontrei curas para os meus medos em algumas músicas. Sorri de volta para quem não sorria para mim, e com isso aprendi a sorrir por dentro, sempre, ainda que só eu pudesse saber o quanto estava feliz, e com isso iluminar meu semblante. Não encontrei a perfeição nem em nada nem em ninguém, mas encontrei a proximidade, que fez meu coração saltar. Descobri que perdoando, eu conseguia ser mais feliz, e que com a verdade, eu poderia curar feridas abertas. Tentei diversas vezes explicar tantas dessas coisas para pessoas importantes. Tentei diversas vezes fazer essas coisas fazerem sentido para alguém. Tomei medidas que iam contra meus princípios e, finalmente descobri que, estas respostas estão dentro de cada um, que justamente por isso, temos nossos momentos para descobrir. Mesmo que demore um pouco mais.

Escrito por: Gabrielle Pires Silva (Tequila)

Postado por Gabrielle Pires Silva às 14:52 3 comentários
sábado, 12 de junho de 2010

Tempo certo

Vivi pouco. Aprendi tanta coisa que nem mesmo soube como por em prática. Medi palavras e deixei-as escaparem em momentos impróprios. Sorr...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 14:52 3 comentários
sexta-feira, 11 de junho de 2010

Metáfora

Temos tanto a aprender, tão pouco sabemos e tão pouco tentamos. Temos tanto a navegar e estamos parados aqui, por causa da chuva. É ela quem vai fazer você precisar remar. Remaremos depressa, fugiremos mais uma vez. Somos sempre assim, um tanto fujões. Nos acovardamos seja por medo, seja por orgulho. E temos tão pouco tempo para tudo isso. Eu tremia de medo de altura, e hoje que estou em cima, tremo com a possibilidade de cair. E então? Sempre alguma coisa vai desconsertar você.

Eles eram metaforicamente o mesmo. Tinham tanto, tão pouco sabiam, e por menos ainda, tentavam. Num todo, sabiam que não mudariam por nada, mas algo mudaria os dois.

Escrito por: Gabrielle Pires Silva (Tequila)

Postado por Gabrielle Pires Silva às 19:44 3 comentários
sexta-feira, 11 de junho de 2010

Metáfora

Temos tanto a aprender, tão pouco sabemos e tão pouco tentamos. Temos tanto a navegar e estamos parados aqui, por causa da chuva. É ela que...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 19:44 3 comentários
domingo, 6 de junho de 2010

O tempo

Tudo sempre tinha um motivo. Eu ainda sabia disso. As badaladas constantes do relógio me davam mais certeza disso. Cada vez em que o ponteiro se afastava da posição anterior, as coisas pareciam mudar. Incrível como o tempo tem poder sobre as nossas vidas. É preciso então, que desvendemos este mistério entre horas, minutos e segundos. Saber qual é a nossa hora é muita pretensão, mas descobrir um novo recomeço, um novo início a cada ruptura, a cada milésimo contado, é uma dádiva. Nunca se sabe quando o tempo vai conspirar a seu favor. É preciso ter o instinto forte, a bagagem longa e a cabeça erguida. Nunca se sabe quando virá a rasteira. É preciso determinação para não cair, e se cair, levantar-se, mesmo que agora ferida. O tempo nunca parou. Nem para congelar bons momentos e muito menos para que guarde as migalhas em que foram partidas seu coração. Os tic-taques não me deixam mentir, eles estão sempre marcando que a cada novo segundo, é uma nova vida nascendo, uma velha história partindo, um sorriso se abrindo, uma lágrima escorrendo.
Escrito por: Gabrielle Pires Silva (Tequila)
Postado por Gabrielle Pires Silva às 13:24 5 comentários
domingo, 6 de junho de 2010

O tempo

Tudo sempre tinha um motivo. Eu ainda sabia disso. As badaladas constantes do relógio me davam mais certeza disso. Cada vez em que o ponteir...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 13:24 5 comentários
sábado, 5 de junho de 2010

Noite azul marinho

Eu olhei para o céu e senti mais confiança dentro de mim. Era como se algo me dissesse que agora o universo conspiraria a meu favor. Era como se as estrelas me dessem um motivo novo para acreditar. Era um azul marinho intenso que se prolongava, fazendo leves tons de dégradé, desde o roxo até o preto. Neste misto de cores, se misturavam leves pensamentos, melancolia e compaixão. Leve desespero, apego e uma nova direção. Compenetrei-me naquela imagem, tão raramente apreciada e me senti tão privilegiada, enquanto meus cabelos esvoaçavam naquela brisa de noite de inverno, que quando me dei por mim, já tinha chegado o dia.

Escrito por: Gabrielle Pires Silva (Tequila)


Pauta para o Blog: In Verbis.

Tema: Olhei para o céu e senti...

Postado por Gabrielle Pires Silva às 01:10 1 comentários
sábado, 5 de junho de 2010

Noite azul marinho

Eu olhei para o céu e senti mais confiança dentro de mim. Era como se algo me dissesse que agora o universo conspiraria a meu favor. Era com...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 01:10 1 comentários
quarta-feira, 2 de junho de 2010

Pequenas partes

Uma parte de mim espera um caminho longo.

Enquanto a outra parte precisa descansar.

Uma parte de mim escuta músicas antigas.

A outra parte já cansou de relembrar.

Uma parte de mim espera mentiras sinceras.

A outra parte só quer o silêncio.

Uma parte de mim perdeu-se enquanto encontrou-te.

A outra parte já não busca mais o que restou.

Uma parte de mim sorri.

A outra parte permanece chorando.

Uma parte de mim se foi.

A outra parte continua te esperando.

Escrito por: Gabrielle Pires Silva (Tequila)

Postado por Gabrielle Pires Silva às 14:24 4 comentários
quarta-feira, 2 de junho de 2010

Pequenas partes

Uma parte de mim espera um caminho longo. Enquanto a outra parte precisa descansar. Uma parte de mim escuta músicas antigas. A outra p...
Postado por Gabrielle Pires Silva às 14:24 4 comentários