sexta-feira, 29 de abril de 2011

Entrevistando a estrela desse blog

Pedro Nigro: Pra começar, logo a mais difícil. Defina-se em uma palavra:

Gabrielle Amanda: Intensa.

Pedro Nigro: Qual a sua maior inspiração?

Gabrielle Amanda: Gosto de coisas impactantes. Elas me inspiram a criar teorias, e das teorias que crio, vêm meus textos. Eu diria que minhas inspirações vêm das músicas que escuto e de tudo o que eu leio. A forma de persuadir a informação que chega até mim, que é o diferencial.

Pedro Nigro: Como você pretende escrever seu futuro?

Gabrielle Amanda: Pretendo estar realizada profissionalmente. E vou lutar por isso. Não sei se ainda estarei publicando, mas provavelmente, ainda estarei escrevendo.

Pedro Nigro: Quando você percebeu que poderia escrever?

Gabrielle Amanda: A minha irmã sempre escreveu. E é coisa de irmão mais novo achar que pode fazer as mesmas coisas que os irmãos. Mas aí comecei a tomar um rumo diferente dela. Ela escrevia histórias, eu escrevia pensamentos.. E assim foi. Os meus amigos liam, mas eu não tornava nada público. Era só uma forma de desabafo mesmo. Mas graças ao seu incentivo, resolvi por o meu hobby a mostra.

Pedro Nigro: O que significa Jesus pra você?

Gabrielle Amanda: Significa o amor. Significa a resposta para tudo sem usar nenhuma palavra.

Pedro Nigro: Vou facilitar as coisas agora, qual sua opinião sobre as redes sociais?

Gabrielle Amanda: São um pouco ilusórias. Parecem aproximar as pessoas de longe de você. Mas afastam as que estão perto. As suas conversas mais importantes acontecem ali. Perde-se um pouco daquilo de 'olho no olho' e o tom de voz, se é irônico, se é calmo, nunca se sabe. Porém, é um meio de reencontrar pessoas as quais não vemos mais, um meio de nos expressar sem repressão, é um meio de distração, e eu acabo sendo uma usuária assídua. Diria mais, uma dependente dessas redes. 

Pedro Nigro: Como você se previne para não cair em golpes na internet? Golpes em geral..

Gabrielle Amanda: Na verdade, eu tenho poucos 'amigos virtuais'. Converso e socializo mais com pessoas que eu realmente conheço. Não me previno muito. As vezes sofro com alguns destes golpes. Meus textos já foram plagiados, já fizeram fakes meus, já me difamaram em 'orkut de fofocas'. Nada sério. O importante é não deixar abater.

Pedro Nigro: Assunto do dia de hoje, gostou do casamento real?

Gabrielle Amanda: Na verdade, não li muito a respeito. Não me importa muito. Mas vi o vestido da noiva. Que é algo que realmente me chama atenção. Moda. Achei que ela parecia já estar inserida na realeza. Muita classe. Já os convidados, não vi nenhuma mulher bem vestida. 

Pedro Nigro: Indique três livros e três revistas para seus leitores.

Gabrielle Amanda: Gosto de romances. Por isso, pra quem, assim como eu, gostar, indico O segredo de Emma Corrigan, A Última Música e por fim, um livro que ainda não li todo, mas onde se pode achar tudo: A Bíblia Sagrada. E revistas, não sou muito fã. 

Pedro Nigro: O que te faz feliz quando você está triste?

Gabrielle Amanda: Chega ser quase irônico. Geralmente quando estou muito triste, gosto de escrever. Desabafar. E o sucesso desses textos, é algo que me motiva, que me põe pra cima. Também tem as coisas mais comuns. A companhia dos meus amigos, conversar com pessoas que se importam comigo...


Pedro Nigro: Queria saber mais sobre sua visão política, socialismo ou capitalismo? Por que?

Gabrielle Amanda: A minha visão política têm estado realmente em crise. Por mais irônico que seja, quando a situação política mundial também se encontra desta forma. Antigamente, eu podia ser a melhor aluna nos debates políticos, a primeira a levantar a bandeira e oferecer minha opinião. Ou melhor, quase impor. Mas depois, acabei me tornando quase que apolítica. Sem muitas visões e esperanças. Acho que isso acontece quando a gente vai crescendo, vendo que nossos ideais foram roubados pelo sistema e que estão todos corrompidos de alguma forma.

Pedro Nigro: Você já pensou em ser política? Pra poder mudar isso tudo.

Gabrielle Amanda: Não. Mas já pensei em ser juíza. O que estaria um pouco relacionado. Mas como já disse anteriormente, isso são coisas que o tempo, e a cruel realidade me levaram. Acho que ninguém pode se autoafirmar honesto antes de ser posto à prova. Tenho medo de me tornar alguém que eu desprezo. Tenho medo de ser cercada desse tipo de pessoas e começar a enlouquecer.

Pedro Nigro: Pra fechar com chave de ouro, uma frase que você pintaria na parede do seu quarto pra vê-la todo dia ao acordar?

Gabrielle Amanda: Acho e nem descarto a ideia que não seria só uma frase. Gostaria que em uma parede do meu quarto estivesse escrito o texto Aprender de William Shakespeare. Alí estão todas as frases que marcam a sabedoria de um homem.


Entrevista feita por Pedro Nigro com Gabrielle Pires, dona do blog.
Postado por Gabrielle Pires Silva às 18:37

5 comentários:

Diego disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pedro Nigro disse...

Como entrevistador, sou um excelente vascaíno.

Mariana Mana disse...

muuuito legal, curtir ! (: haha'. sempre muito madura .concordo em praticamente tudo, em questao de visão geral.

Laila Saltoris disse...

lendo essa entrevista só confirmei o que eu já sabia, você é MUITO inteligente.
vai longe assim, gabi.

Paulinha Gonçalves disse...

Querida Gabrielle,

Seu blog é lindo...li várias postagens suas, me identifiquei bastante...

Parabéns...que Deus continue lhe proporcionando este dom de escrever com sentimentos, e trazendo através das suas escritas, força e ânimo para àqueles que se encontram perdidos.

Grande beijo.

Postar um comentário