quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Platônico, eu?


O grande problema, o xis da questão é que a gente não saca quando está se apaixonando. Nem mesmo percebemos quando estamos apaixonados.
A gente só percebe mesmo quando está totalmente preso, ligado, obcecado pela pessoa, pela ideia, pela lembrança dos planos e pela saudade do futuro que se imaginou.
O grande problema é isso. Nada passou da nossa mente, mas nosso coração logo interliga a imaginação à pessoa, como se tivesse existido de fato alguma relação amorosa. Que piada.
A gente nem sabe quando, nem por que, nem em que momento aquela pessoa começou a ser única na nossa vida, mas também não sabe como deixá-la, não sabe como soltar sua mão e deixar que escolha ir ou ficar. Prendemos.
O grande problema é não conseguir afrouxar os laços. É fazê-los prendedores, coleiras e correntes na vida de quem amamos. Esquecemos o quão independentes podemos ser mesmo amando, mesmo querendo e estando juntos.
O grande fardo de estar apaixonado é saber dividir o que é sentimento bom do que é obsessivo. É saber livrar-se do excesso para encontrar-se com a felicidade. O grande fardo de estar apaixonado é saber se existe mesmo história ou se foi um conto inventado por um sorriso que passou e nem foi pra ti, que no ápice da carência, tratou de guardar e fantasiar dentro de si mesmo. 

Escrito por: Gabrielle Pires Silva
Postado por Gabrielle Pires Silva às 23:20

11 comentários:

Bruno Reynaud disse...

Muito belo o texto. Adorei!

Mariana Mana disse...

"O grande fardo de estar apaixonado é saber se existe mesmo história ou se foi um conto inventado por um sorriso que passou e nem foi pra ti, que no ápice da carência, tratou de guardar e fantasiar dentro de si mesmo. "
Lindo amiga, to um pouco sumida, mas voltei pois to morrendo de saudades das suas inspirações ... parabéns ! amo você ...

Brian Woolley disse...

Muito bom Gabi, sempre escrevendo com muita sensibilidade, uma vez escutei em algum lugar a seguinte frase "quando estamos apaixonados costumamos ver as coisas como elas não são" fez muito sentido pra mim. Eu sinto saudade de fantasiar um futuro com alguém na minha cabeça, sinto até mesmo falta de ter saudades de coisas que não existem, ser racional nunca me agradou.

Mauro Junior disse...

Tá gamadinha e quer compartilhar... que bonito... feliz pro você Bebe... ♥

Samyle S. disse...

Concordo contigo, nós prendemos muito o que amamos, e esquecemos que o amor é "livre", ele fica ou vai-se independente disso.

http://florescerepalavrear.blogspot.com.br/

Bruna Viana disse...

"Esquecemos o quão independentes podemos ser mesmo amando, mesmo querendo e estando juntos." Lindo texto..

Giovanne Joannes disse...

Muito bom, gostei bastante! :D

Thaís disse...

Muito bom, adorei! :))

Gabriela Alcantara disse...

muito bom, gostei de maaaaais me identifiqei demais :) PARABENSA! :)

Joice Villa disse...

Falou tudo aqui : O grande fardo de estar apaixonado é saber se existe mesmo história ou se foi um conto inventado por um sorriso que passou e nem foi pra ti, que no ápice da carência, tratou de guardar e fantasiar dentro de si mesmo.
Exatamente isso a cada texto seu, gosto mais do seu trabalho.
SEMPRE superando, Parabéns!

A escritora disse...

Bem isso mesmo, e se ainda por um acaso da vida percebemos que estamos nos apaixonando, mentimos para nos mesmos, porque no fundo queremos nos perder de paixão !

Postar um comentário