quarta-feira, 30 de novembro de 2011

O que não se sabe

O que não se sabe pode ser um livro aberto. Um livro aberto de novas perspectivas, imaginação. Uma chance de se maravilhar com seus próprios pensamentos e criar dentro de si, uma realidade inexistente. O que não se sabe pode ser ainda mais amplo do que o que é real.
O que é imaginário pode ser só seu, pode superar as expectativas.
A realidade cansa. O óbvio me causa fadigas, me faz temer nunca experimentar nada novo.
O que eu ainda não sei me impulsiona a tentar, a querer, a duvidar, me agarrar a uma expectativa que me desprende até do que eu temeria.
O que não se sabe pode ser um caça ao tesouro.
Procura-se tanto saber de tudo, viver tudo, experimentar tudo. Mas o que ainda não foi vivido é o que verdadeiramente remexe tudo dentro da gente.
Como uma casa procurando por morada;
Abrigo procurando por friagem;
Medo desencontrado da coragem.
Percebe-se que nos dividimos pelo que não sabemos e pelo que sabemos, não vivendo verdadeiramente nada. Fechamos e abrimos livros e baús cheios de conteúdos secretos que não revelamos. Fantasiosos tesouros.
Vivemos a nossa vida como se fossemos ter outras. Não sabemos nada, porque achamos que sabemos demais.

Escrito por: Gabrielle Pires Silva
Postado por Gabrielle Pires Silva às 02:18

11 comentários:

Mayara Abrahão disse...

"Fechamos e abrimos livros e baús cheios de conteúdos secretos que não revelamos...Vivemos a nossa vida como se fossemos ter outras. Não sabemos nada, porque achamos que sabemos demais."
Lindo.. adorei como smp.

Thaís Lima disse...

"O que eu ainda não sei me impulsiona a tentar, a querer, a duvidar, me agarrar a uma expectativa que me desprende até do que eu temeria...Fechamos e abrimos livros e baús cheios de conteúdos secretos que não revelamos. Fantasiosos tesouros.
Vivemos a nossa vida como se fossemos ter outras. Não sabemos nada, porque achamos que sabemos demais."
Amei Gabi!!

Luiz Gustavo( Bolô) disse...

"Procura-se tanto saber de tudo, viver tudo, experimentar tudo. Mas o que ainda não foi vivido é o que verdadeiramente remexe tudo dentro da gente."
sempre mandando muito bem gabizinha :D
parabens

Jéssica Faria disse...

"Vivemos a nossa vida como se fossemos ter outras. Não sabemos nada, porque achamos que sabemos demais." // muito bom Gabii... só se superando... lindo *-*

Giovanne Joannes disse...

"Mas o que ainda não foi vivido é o que verdadeiramente remexe tudo dentro da gente." cada texto uma surpresa, muito bom criança :D

gabrielafortunato disse...

"O que eu ainda não sei me impulsiona a tentar, a querer, a duvidar, me agarrar a uma expectativa que me desprende até do que eu temeria."
"Vivemos a nossa vida como se fossemos ter outras. Não sabemos nada, porque achamos que sabemos demais."
Adorei essas duas frases. Lindo texto Gabi! *-*

Clarinha disse...

Que lindo esse texto !
Amei essa frase: "Vivemos a nossa vida como se fossemos ter outras. Não sabemos nada, porque achamos que sabemos demais." a minha cara.

Bjs
http://maviealeatoire.blogspot.com/

Mayara Regalo disse...

"O que não se sabe pode ser um livro aberto. Um livro aberto de novas perspectivas, imaginação. Uma chance de se maravilhar com seus próprios pensamentos e criar dentro de si, uma realidade inexistente."

Amei demais, Gabizinha!
Muito mesmo. Me identifiquei muito com esse texto. Ele é simplesmente lindo!

Gustavo disse...

texto pica, ainda mais quando é lido em voz alta pela autora, ahahha *-*

Anônimo disse...

Apos terminar a leitura fiquei pensando duas, tres vezes no que escrever.
Mas cheguei a conclusao de que nada que eu comente aqui fara jus a tamanha riqueza textual que acabo de disfrutar.
Algumas 'sacadas' muito interessantes, como as tres primeiras linhas. se vc terminasse sua cronica no primeiro ponto final ficariamos a pensar e pensar e, chegariamos a conclusao de alguma coisa?
Filosoficamente falando, vindo de um leigo como eu nao significa absolutamente nada, foi brilhante!
Parabens pelo belissimo texto, espero alimentar-me cada vez mais com suas criacoes que encheram meus olhos de satisfacao! Nao querendo repetitivo mas mais uma vez, foi brilhante!

Anônimo disse...

Ante um texto deste, sinto-me envergonhado de tentar, ao menos, escrever bem.

Postar um comentário