quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Na hora não soube o que dizer

Na hora não soube dizer adeus. Disse ótimo. Mantive a pose e fechei o semblante. Sem despedidas, sem lágrimas. Sem melancolia.
Na hora não soube o que dizer, por isso não disse adeus. Não sei encerrar vínculos, não acredito muito em vínculos encerrados por livre espontânea vontade. Como se uma palavra ou outra realmente decretasse o fim de algo. Por isso não proferi palavra alguma além de ótimo.
Ótimo é positivo, calmo, singelo, e confessemos, um tanto irônico.
Ótimo mesmo não estando de acordo. Ótimo que algo mudou. Ótimo pra não dizer péssimo.
Na hora das palavras certas sempre erro a dicção. Troco letras e formo ironias com uma prepotência nada suave. Não sei dizer adeus. Não sei aceitar que alguém decidiu algo por mim e por assim basta. Digo ótimo pra disfarçar a submissão. Digo ótimo pra que pareça que decidi também.

Disse ótimo pra não dizer adeus. E que por sinal, que ótimo que não disse adeus.

Escrito por: Gabrielle Pires Silva
Postado por Gabrielle Pires Silva às 23:06

5 comentários:

Bruno Reynaud disse...

Conheço essa historia. Coisa linda!!!

Sharon disse...

lindo

Anônimo disse...

Onww 😍 também conheço essa hitória, que otimo mesmo.
Aliás, que otimo que você ta volta (sem ironias)

Agatha Tomazino disse...

Arrasou!

Juliana Padilha disse...

Adorei o texto! Me identifiquei porque me fez lembrar de uma situação que vivenciei dias atrás...A pessoa disse "adeus", mas eu não quis dizer. Particularmente odeio essa palavra. Soa tão fria, tão definitiva. E nada nessa vida é definitivo, só a morte.

Postar um comentário